Tecnologias espaciais usadas no combate aos efeitos das secas: o caso de Angola

Autores

  • Paula Nunes Tartari University of Gothenburg

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-9452.2021v8n16.57779

Resumo

O Sul da Angola sofre um longo período de seca, com temperaturas registradas em 2019, mais elevadas em 45 anos (UNICEF, 2020, p. 2). Esse quadro afeta diretamente o cotidiano angolano, que urge por projetos que monitorem e mitiguem os efeitos da seca. Com isso, as tecnologias de satélite são um grande aliado no estudo, provendo informações em tempo real para a tomada de decisão. O Gabinete de Gestão Espacial Nacional (GGPEN), criado em 2013, foi o marco do início do programa espacial angolano, sendo diretamente responsável pelas questões espaciais do país. O presente artigo tem como objetivo explorar os projetos no âmbito espacial angolano que tem contribuído para o monitoramento da seca no país através da tecnologia de satélite e como a diplomacia científica auxilia nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-16

Edição

Seção

Artigos