CAPITALISMO, ESCRAVIDÃO E A ECONOMIA CAFEEIRA DO BRASIL NO LONGO SÉCULO XIX

Autores

  • Rafael de Bivar Marquese

Resumo

O artigo examina as descontinuidades das relações entre a economia-mundo capitalista e a escravidão negra nas Américas a partir do exame da economia do café no longo século XIX. No período de 1790 a 1888, é possível identificar três momentos distintos nessas relações, nos quais as interações entre forças globais e forças locais passaram por transformações substantivas. O primeiro momento (décadas de 1790 a 1820) foi marcado pela crise da economia cafeeira construída na base caribenha durante o século XVIII; o segundo momento (décadas de 1820 a 1860) testemunhou o arranque do complexo cafeeiro no Brasil, diretamente conectado à consolidação da nova ordem industrial no Atlântico Norte; o terceiro momento foi travejado pela crise da economia escravista cafeeira brasileira, resultante da Guerra Civil norte-americana (1861-1865) e da reorganização da economia-mundo capitalista durante a chamada Grande Depressão (1873-1896).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

MARQUESE, R. de B. CAPITALISMO, ESCRAVIDÃO E A ECONOMIA CAFEEIRA DO BRASIL NO LONGO SÉCULO XIX. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 29, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/19825. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê História e História Econômica