Gaia Scientia https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia <p>A Revista <strong>Gaia Scientia</strong> é uma revista online, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA, da Universidade Federal da Paraíba. Lançada em 2007, a revista destina-se à divulgação de artigos técnico-científicos originais e inéditos ou artigos de revisão (casos especiais, apenas com consulta prévia ao Editor-Chefe do periódico ou a convite), na área de Ciências Ambientais. Excepcionalmente, a revista pode publicar Edições Especiais, de temáticas atuais e relevante para a área de Ciências Ambientais. Os manuscritos elaborados devem destinar-se exclusivamente a Revista <strong>Gaia Scientia</strong>, não sendo permitida sua apresentação simultânea a outro periódico. No foco dos trabalhos publicados, consideramos pesquisas desenvolvidas nas mais diversas ramificações da área de Ciências Ambientais, incluindo trabalhos na interface com a Antropologia/ Sociologia Ambiental, Economia do Meio Ambiente, ações humanas para ameaça ou conservação da Biodiversidade e Impactos Ambientais, Engenharia Ambiental, Etnobiologia, Geografia Humana e Ambiental, Saúde e Meio Ambiente, Tecnologias Ambientais, entre outros.</p> Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA - UFPB pt-BR Gaia Scientia 1981-1268 Sensoriamento remoto e inventário da flora apícola em uma área de Caatinga no nordeste brasileiro https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/61548 <p class="p1">O contexto de insustentabilidade dos ecossistemas brasileiros, no caso específico o bioma Caatinga, vem sendo marcado pela pressão antrópica que coloca em risco sua biodiversidade. Assim, a <span class="s1">flora apícola torna-se vulnerável e a vida das abelhas nativas, ameaçada, já que dependem exclusivamente </span>da floração de determinadas espécies, além de contribuírem com o serviço ecossistêmico de polinização. Diante da relevância da conservação deste bioma, este trabalho objetivou identificar os usos e cobertura da Terra através do Índices NDVI, TST e WSVI, numa área de Caatinga no Sertão Paraibano, em um período seco e outro chuvoso, e avaliar a sua influência na riqueza da flora apícola através do seu inventário. Utilizou-se de imagens de satélites e do sensoriamento remoto para a análise desses índices e levantamento da flora apícola. Os resultados apresentaram uma variabilidade da vegetação e áreas de solo exposto para os períodos analisados. Os índices TST e o WSVI evidenciaram baixas temperaturas (27ºC) e maior umidade nas áreas com presença de vegetação, respectivamente, no período chuvoso, apresentando outra paisagem com maior diversidade, principalmente de espécies herbáceas, o que influenciou no aumento da floração, potencializando a atividade das abelhas que precisam de vegetação como alimento.<span class="Apple-converted-space"> </span></p> Mycarla Míria Araujo de Lucena Micaela Silva Coelho José Diogenes Alves Pereira Rosilene Agra da Silva Alan de Araújo Roque Iaponira Sales de Oliveira Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 Análise da qualidade da água e do estado trófico em um reservatório da Bacia Hidrográfica do Rio Potengi, região semiárida do Nordeste https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/61852 <p class="p1">A água é um recurso natural essencial para a manutenção da vida no planeta. Todavia, o uso não sustentável desse recurso, sobretudo devido ao acelerado crescimento demográfico e a intensificação de atividades antrópicas vêm ocasionado a perda da qualidade e a sua escassez. Nesse contexto, objetivou-se com este estudo avaliar os parâmetros físico-químicos e biológicos da qualidade da água e o Índice de Estado Trófico (IET) da Barragem Campo Grande/RN. Os parâmetros avaliados foram: oxigênio dissolvido (OD), pH, turbidez, demanda bioquímica de oxigênio (DBO), nitrogênio amoniacal, fósforo total, sólidos totais, temperatura da água, clorofila a, <em>Escherichia coli</em> e fitoplâncton. As informações sobre os parâmetros no reservatório foram obtidas através de dados secundários, disponibilizados pelo Programa QUALIÁGUA, que realizou o monitoramento do reservatório, no período de 2018 a 2019. Os parâmetros que não atenderam aos limites preconizados pela resolução CONAMA n<sup>o</sup> 357/2005 para corpos d’água classe 2 foram as variáveis DBO, Fósforo Total e <em>E. coli</em>. Os dados do monitoramento demonstraram maior IET para o período chuvoso, categorizado com média Hipereutrófico, enquanto o período seco foi categorizado com índice Eutrófico.<span class="Apple-converted-space"> </span></p> Kívia Soares de Oliveira Wédina Rodrigues de Lima Jean Leite Tavares Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.61852 Análise da concentração de extração da lenha nativa na microrregião de Petrolina, Pernambuco – Brasil de 2002 a 2019 https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/62018 <p class="p1"><span class="s1">A demanda por madeira como fonte de energia é acentuada na região do Semiárido brasileiro, </span>devido à sua utilização como lenha e na produção de carvão. Este trabalho analisou a desigualdade e a concentração da produção de lenha nativa pelos municípios da microrregião de Petrolina, entre os anos de 2002 e 2019. Os dados utilizados para esse estudo foram da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS), fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A concentração foi determinada pelos seguintes indicadores: Razão de Concentração [CR(k)], Índice de Herfindahl-Hirschman (HHI), Índice de Concentração Compreensiva (CCI) e o coeficiente de Gini (G). Os resultados mostraram um crescimento de 4,13% a.a. na produção de lenha. O G indicou maior desigualdade em 2002.<span class="Apple-converted-space"> </span>O CCI apresentou alta concentração em 2002, com queda ao longo do período analisado. O CR(k) exibiu concentração muito alta, com média de 89%, indicando mercado oligopolista. O HHI indicou um mercado concentrado no início do período analisado e competitivo no final. Por fim, os municípios que apresentavam baixa extração, aumentaram a produção, assim, desconcentrando o mercado que passou a ser competitivo.</p> Antonio de Padua Monteiro Barros Claudemiro Lima Júnior Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.62018 Percepção de mulheres quilombolas sobre as doenças locais e formas de tratamentos https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/62383 <p class="p1">Esse estudo objetivou relatar a percepção das doenças locais por mulheres do quilombo Castainho (Garanhuns-PE). Utilizou-se o Diagnóstico Rápido Participativo (DRP) em um grupo de 30 mulheres, associando estímulos visuais e construindo um quadro sobre as doenças que acometem a comunidade, o local e a forma de tratamento utilizado. O Castainho localiza-se próximo à sede do município e possui uma Unidade Básica de Saúde (UBS).<span class="Apple-converted-space"> </span>Constatou-se que as práticas tradicionais de tratamento se mantêm de forma direta ou associada a medicamentos para a maioria (71%) das doenças catalogadas. A escolha das plantas medicinais é maior para casos leves a moderados, como sintomas de dor de barriga, resfriado e tosse. Doenças tipo Hipertensão e diabetes, recorrem a UBS.<span class="Apple-converted-space"> </span>Em casos mais graves, como Câncer e AVS, a população procura os Hospitais do município. As informantes demonstraram preocupação para doenças de ansiedade e depressão, comuns entre as mulheres. A assistência médica é de grande importância para a qualidade de vida da população, porém os atendimentos são limitados. Concluiu-se que as mulheres possuem um saber tradicional para a classificação das doenças e formas de tratamento, reconhecem o itinerário terapêutico, sabem da importância dos serviços médicos e mantém as práticas tradicionais para tratamentos da saúde.</p> Zenilda Gueiros Silvestre Alissandra Trajano Nunes Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.62383 Mobilidade urbana (in)sustentável na porção sul de João Pessoa, PB https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/62661 <p class="p1">Embora seja nítida a relevância dos objetivos relacionados à mobilidade sustentável nas atuais agendas urbanas, na prática, o avanço da expansão urbana dispersa sobre áreas periurbanas, mal servidas de infraestrutura viária e de transporte público, revela sistemas de mobilidade ineficazes e cada vez mais centrados no uso do automóvel. Este artigo visa analisar a mobilidade urbana na porção sul de João Pessoa, PB, alvo recente de intensa produção imobiliária voltada à habitação de baixo custo. A pesquisa bibliográfica centrou-se na mobilidade urbana sustentável e suas formas de análise, sendo complementada pelas pesquisas documental e de campo. Como resultado, foram elencados seis aspectos relacionados à mobilidade urbana, a partir dos quais se constatou que o transporte público, na área, é restritivo quanto à oferta e frequência; as calçadas, paradas e terminais de ônibus não dispõem de condições adequadas de conforto e acessibilidade e as ciclofaixas são desconectadas da rede cicloviária geral e dos terminais locais, demonstrando que as agendas urbanas e as legislações são inefetivas no sentido de integrar a mobilidade ao ordenamento territorial ou de implementar políticas públicas que promovam o acesso à cidade, disponibilizando sistemas de mobilidade urbana mais justos, inclusivos, eficientes, logo, mais sustentáveis.<span class="Apple-converted-space"> </span></p> Denise de Azevedo Dieb Eduardo Rodrigues Viana de Lima Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.62661 Caracterização e predição de acidentes com abelhas africanizadas em Roraima, Brasil https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/63087 <p class="p1">Nos últimos anos, o número de acidentes envolvendo abelhas <em>Apis</em> <em>mellifera</em> africanizada tem aumentado em Roraima, tornando-se um problema de saúde pública. Os apicultores são os <span class="s1">profissionais responsáveis por manejar esses insetos adequadamente. Caracterizar os acidentes </span>envolvendo abelhas africanizadas; realizar previsão desses acontecimentos com os dados adquiridos; e conhecer a vulnerabilidade dos apicultores. Os dados sobre os acidentes entre 2007-2019 foram coletados da plataforma DATASUS. Foi aplicado um formulário socioepidemiológico aos apicultores da região central do Estado. Na plataforma DATASUS, foram registrados 976 acidentes para o período. As análises apresentaram uma tendência de aumento do número de casos para os próximos anos. Os apicultores entrevistados não fazem parte do público atacado. O aumento do número de acidentes ocorre no período de maior produção de mel, devido ao crescimento das populações e à enxameação. Essa pesquisa contribuirá para alertar sobre o perigo de acidentes e auxiliará na tomada de decisões acerca das áreas de risco em Roraima.</p> Valeska Regina Rodrigues da Cruz Gardênia Holanda Cabral Sílvio José Reis da Silva Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.63087 Avaliação do desflorestamento e das queimadas em grupos de áreas protegidas da Amazônia https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/61722 <p class="p1">Uma estratégia global de proteção dos habitats naturais é a criação de áreas protegidas. Este trabalho objetivou avaliar desflorestamento e queimadas em grupos de áreas protegidas da Amazônia: terras indígenas, unidades de conservação de proteção integral, unidades de conservação de uso sustentável - domínio público, unidades de conservação de uso sustentável - domínio público/privado, e área não protegida. Para cada grupo foi determinado o desflorestamento e a densidade de queimada, anualmente no período 2000-2017. As unidades de conservação de proteção integral e as terras indígenas foram mais eficientes na contenção do desflorestamento, enquanto as unidades de conservação de uso sustentável - domínio público/privado apresentaram pouca eficácia. Com relação às queimadas, as unidades de conservação de proteção integral foram mais eficientes na contenção. As unidades de conservação de uso sustentável - domínio público/privado foram ineficazes. A correlação entre desflorestamento e queimadas foi baixa para as áreas protegidas, indicando que o fogo está relacionado ao manejo agropastoril. Para conter o desflorestamento e as queimadas na Amazônia, deve-se priorizar a criação de unidades de conservação de proteção integral. As terras indígenas e as unidades de conservação de uso sustentável de domínio público podem ser usadas, pois, ainda que menos eficazes, elas são importantes para preservar a sociodiversidade amazônica.</p> Jorge Luis Gavina Pereira Leandro Valle Ferreira Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.61722 Índice de obstrução de rede coletora de esgoto para o município de Dourados/MS https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/61882 <p class="p1">Visando orientar estudos de viabilidade de operação desses sistemas, o objetivo deste trabalho foi desenvolver métodos para estimativa do Índice Anual de Obstrução da Rede Coletora (IAORC<sub>anual</sub>), Índice Médio Mensal de Obstrução da Rede Coletora (IORC<sub>mensal</sub>) e Índice Regional de Obstrução da Rede Coletora (IORC<sub>regional</sub>) para o município de Dourados/MS. A obtenção destes foi através da correlação dos números de ordens de serviços prestados anualmente, com informações dos diâmetros da rede, das regiões de ocorrências de obstrução, dentre outros. Como resultado, os índices de obstrução por média mensal e anual, estratificados por diâmetros da rede, possibilitaram um diagnóstico geral do grau de recorrência dos eventos de obstrução no sistema de esgotamento, no ano em análise. Demonstraram também que, proporcionalmente, as redes em DN 100 mm apresentam maior frequência de obstrução. O índice regionalizado permitiu a descrição detalhada do sistema operacional da região, podendo ser utilizado como guia para ações de manutenção preventiva. A base de dados GIS estruturada, permite ampliar a visão de ferramentas de apoio à tomada de decisão. Por fim, destaca-se que a manutenção e adição de novos planos de informações ao banco de dados permitirá análises complexas, como os fatores de risco envolvidos em eventos de obstruções.</p> Luana Araujo Amancio Vinícius de Oliveira Ribeiro Jonailce Oliveira Diodato Nelison Ferreira Correa Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.61882 Avaliando o sucesso da restauração florestal com base na análise da paisagem https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/61986 <p class="p1">O reconhecimento da configuração da paisagem é essencial para definir os locais prioritários com maior probabilidade de sucesso para a restauração florestal. A pesquisa teve como objetivo reduzir as incertezas quanto à viabilidade dos processos de restauração ecológica aplicando métricas de paisagem para apoiar as áreas prioritárias para restauração em três bacias hidrográficas localizadas na região noroeste do estado do Paraná, Brasil. Uma análise temporal da paisagem foi executada para os anos de 1985, 1996, 2007 e 2018. Sete categorias de uso e cobertura do solo foram propostas e sete métricas de paisagem foram calculadas para avaliar a configuração usando o <em>software</em> Fragstats®, e uma análise de sucesso de restauração usando o <em>software</em> GoFor®. A área estudada foi dividida em quatro níveis de prioridade: baixa, média, alta e muito alta probabilidade de sucesso da restauração. A matriz paisagística foi composta por pastagens e agricultura, que correspondiam a quase 90% da área. Houve um aumento considerável da cobertura florestal ao longo dos anos devido aos plantios comerciais e à recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APP). Aproximadamente 12,6% da paisagem tem potencial para ser recuperada se os esforços de restauração forem alocados em áreas com maior potencial de sucesso de restauração.<span class="Apple-converted-space"> </span></p> Allan Rodrigo Nunho dos Reis Daniela Biondi Ana Paula Dalla Corte Antônio Carlos Batista Fabiano Peixoto Freiman Eduardo Campanhã Ribas Iran Jorge Corrêa Lopes Jennifer Viezzer Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.61986 A pesca artesanal e o conhecimento etnoictiológico em comunidades ribeirinhas do rio Igaraçu, litoral piauiense https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/63064 <p class="p1">Pescadores dos rios do litoral do Estado do Piauí, Brasil, possuem importantes informações que podem embasar o manejo conservacionista dos recursos naturais. Objetivou-se descrever a atividade pesqueira e conhecimentos ecológicos de pescadores do rio Igaraçu, litoral piauiense. Foram realizadas entrevistas utilizando formulários semiestruturados abordando perfil socioeconômico, métodos de pesca, espécies de peixes, presas, predadores e danos ambientais. Os dados foram avaliados pela frequência de citação e valor de uso das espécies. A atividade é exercida por homens e mulheres utilizando petrecho artesanais(n: 5). Esta ocorre ao longo de todo o ano, de preferência no período chuvoso e dias de lua crescente e minguante. Foram citadas 33 espécies de peixes, os quais se alimentam de peixes menores, crustáceos e plantas, e são presas principalmente do <em>Caiman</em> <em>crocodilus </em>(31,4%) e da <em>Eunectes murinus </em>(27,1%). Os peixes considerados mais importantes foram <em>Bagre marinus</em> (VU: 0,88), <em>Pygocentru snattereri</em>(VU: 0,64) e o <em>Pimelodus sp</em>. (VU: 0,64). Há a redução dos estoques pesqueiros por causa do lixo e água poluída derramadas no rio. Os dados descritos elucidam a necessidade de medidas públicas que protejam a saúde humana e conservação da biodiversidade.</p> Manoel Bruno Alves Sales Irlaine Rodrigues Vieira Jefferson Soares de Oliveira Copyright (c) 2022 Gaia Scientia 2022-09-23 2022-09-23 16 2 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n2.63064