ENSAIO DA INSERÇÃO DA MULHER MILITAR NO BRASIL.

  • Armstrong dos santos leal ufpb
  • Marlene helena de Oliveira França UFPB
Palavras-chave: Assédio Moral.Gênero. Militarismo

Resumo

RESUMO: Este artigo nasceu a partir de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) intitulado, Assédio Moral, uma Violação aos Direitos Humanos, realizado entre os anos 2013/2014 por ocasião do Curso de Especialização em Segurança Pública e Direitos Humanos, promovido pelo Núcleo de Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Financiado pela Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (RENAESP), órgão vinculado ao Ministério da Justiça do estado brasileiro. No referido curso a partir da análise dos dados coletados, percebeu-se que a instituição sujeito da pesquisa, Policia Militar da Paraíba, tinha um quadro feminino bastante reduzido comparado aos homens, ainda assim, continuavam fazê-lo nos seus certames públicos, o que colaborava para uma divisão injusta de gênero, que por sua vez, propicia condições favoráveis à prática de assédio moral, segundo a teórica e pesquisadora Hirigoyen (2002) são elas as maiores atingidas pelo tal fenômeno. Levantamentos históricos feito dão conta de que a divisão por esse motivo sempre foi desproporcional em corporações militares, diante disso, a premissa desse artigo se propôs a verificar os aspectos de inserção, desafios, perspectivas e avanços na reversão desse antigo problema em locais reconhecidamente formada pela imensa maioria por pessoas do sexo masculino, e se houve enfretamento a essa injustiça social despendida para minimizar tais efeitos na PMPB, e no Brasil ao longo do século XX e XXI, e finalmente como as instituições militarizadas vem se comportando em face da exigência contemporânea em estabelecer na sua filosofia de trabalho, igualdades de oportunidades e condições a todos independente de seu sexo, raça, crença religiosa. Palavras-chave: Mulheres. Polícia Militar Paraíba. Gênero.

Biografia do Autor

Armstrong dos santos leal, ufpb
AUTOR 1: graduado em nutrição pela UFPB, e aluno de pós-graduação de Segurança Pública e Direitos Humanos UFPB;
Marlene helena de Oliveira França, UFPB
AUTOR 2. Professora e orientadora e membro do Núcleo de Direitos Humanos UFPB.

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, M. R. D. Contexto político-institucional do processo decisório sobre a admissão da mulher militar. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,. Niterói, 2008.

AZEVEDO, M. A. & GUERRA, V. N. A. A Síndrome do Pequeno Poder. São Paulo: Iglu. 1989.

BAQUIM, C. A. Mulher e piloto: o caso das pioneiras da aviação militar brasileira. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 1,. São Carlos, 2007.

BÍBLIA. Gênesis. Biblia Sagrada. Brasilia-DF, Edição Revisada e Corrigida, 1969. João Ferreira de Almeida. Gên. Cap. 2 vers. 18.

BOULDING, E. Las mujeres y la violencia social.In: La Violencia y SUS Causas (UNESCO, org.),pp. 265-279, Paris: Editorial UNESCO. 1981.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: Texto Constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Disponível em:< http://www.senado.gov.br >. Acesso em: 21 de Agosto de 2014.

CARVALHO, C. S. Casa-caserna: um percurso diferenciado na vida das mulheres militares. Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais, Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 1990.

CORRÊA, M.V.P., et al., Configurações do Assédio Moral em Instituições Militares: Aproximações dos Pressupostos teóricos de Goffiman sobre assédio moral. Caderno de administração, Maringá, v.9, n.3, ISSN 1516-1803. Disponível em: Acesso em 21 de Agosto de 2014.

D’ARAÚJO, M. C. Mulheres homossexuais e forças armadas no Brasil: In CASTRO, C.; IZECKSOHN, V.; KRAAY, H. (Org.). Nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2004.

DESLANDES, S. F. Relatório Final da Pesquisa “O Impacto da Violência nos Serviços de Emergência Hospitalar”. Rio de Janeiro: Centro Latino Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli, Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos em Saúde, Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz. 1997.

DESLANDES, S. F.; GOMES, R., DA SILVA, C. M. F. P. Caracterização dos casos de violência doméstica contra a mulher atendidos em dois hospitais públicos do Rio de Janeiro. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16(1):129-137, jan-mar, 2000.

DICIONÁRIO ON LINE. Disponível em:acesso em: 02 de agosto de 2014.

GOMES, R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade (M. C. S. Minayo, org.), pp. 67-80, Petrópolis: Editoras Vozes. 1994.

GOUVÊA, Ricardo Quadros. A piedade pervertida: um manifesto antifundamentalista em nome de uma teologia de transformação. São Paulo: Grapho, 2005.

HIRIGOYEN, Marie-France. Mal estar no trabalho - redefinindo o assédio moral. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002, 350 p.

JORNAL DO DIASE. Disponível em: <http://www.jornaldodiase.com.br/noticias> Acesso em: 02 de Agosto de 2014.

JORNAL FOLHA VIP. Disponível em: Acesso em: 04 de Agosto de 2014.

LEAL, A.D.S., FRANÇA, M.H.O., Assédio Moral uma Violação aos Direitos Humanos. 2014. 85f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Federal da Paraíba – UFPB, João Pessoa, 2014.

LANNES, S. B., A inserção da mulher no moderno Exército Brasileiro. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,.Niterói, 2008.

LOPES, A. A. Estranha em um ninho verde – oliva: construções discursivas sobre gênero Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2005.

MUSUMECI, L.; SOARES, B. M. Polícia e gênero: presença feminina nas PMs brasileiras. Boletim Segurança e Cidadania, Rio de Janeiro, v. 2, n. 4, abr. 2004.

PASSOS, C C. Militar como uma construção de gênero. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DE DEFESA, 2,. Niterói, 2008.

POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA – PMPB Legislação fixa o efetivo. Disponível em: Acesso em: 21 de Agosto de 2014.

PORTAL CORREIO UOL. Polícia Militar da Paraíba limita entrada de mulheres. Disponível em: Acesso em: 22 de Agosto de 2014.

SAFFIOTI, H. I. B. No fio da navalha: Violência contra crianças e adolescentes no Brasil atual. In: Quem Mandou Nascer Mulher? Estudos sobre Crianças e Adolescentes Pobres no Brasil (F. R. Madeira,org.), pp. 135-211, Rio de Janeiro: Editora Record/Rosa dos Tempos. 1997.

SILVA, C. R., Mulheres em armas: um estudo etnográfico do segmento feminino das forças armadas brasileiras. Monografia de Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2006.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. Porto Alegre, vol.20, nº2, jul/dez, pp.71-99. 1995.

WIKIPÉDIA. Disponível em . Acesso em: 02 de Agosto de 2014.

Publicado
2014-09-02
Como Citar
LEAL, A. DOS SANTOS; FRANÇA, M. HELENA DE O. ENSAIO DA INSERÇÃO DA MULHER MILITAR NO BRASIL. Gênero & Direito, v. 3, n. 2, 2 set. 2014.
Seção
Ensaios