A MULHER EMPREENDEDORA NA DIÁSPORA PELO ALGARVE

Autores

  • Elsa Cristina Vieira Universidade da Beira Interior

Palavras-chave:

empreendedorismo feminino, representação social, diáspora

Resumo

Os papéis de género têm sido fortemente estigmatizados pela identidade de homem ou mulher (Casaca,2012). Ao avaliarmos as necessidades de desenvolvimento económico de um país e a crescente procura de ações empreendedoras, estaremos a desperdiçar um potencial que tem sido, pelos diversos motivos culturais e sociais, menos explorado: a mulher no papel de empreendedora. Empreendedorismo é um conceito polissémico cada vez mais utilizado quer a nível económico, quer a nível social ou político, como gerador de desenvolvimento num país. Partindo da premissa de que empreender é uma atividade humana, entendemos que o mesmo desconstrói o conceito de género, na medida em que empreender se define como o ato livre e seguindo a proposta de Shumpeter (1934), refere-se a inovar. Neste contexto, tanto homens como mulheres são tidos em conta no seu contributo e no seu potencial criativo. Numa retrospetiva ao que tem sido o papel social da mulher, conscientizamo-nos do seu multifacetismo, uma vez que, em maioria é ela que é responsável pelas tarefas familiares e domésticas, tendo um esforço acrescido de conciliá-las com o seu trabalho remunerado. De acordo com os indicadores de entidades-chave, e.g. INE (Instituto Nacional de Estatística), OCDE (Organização para a Cooperação e para o Desenvolvimento Económico) e/ou GEM (Global Entrepreneurship Monitor), verificamos que é sob a mulher que se produz a maior taxa de desemprego. Por necessidade, cada vez mais mulheres geram uma Start-up, criando o seu próprio negócio e tornando-se empreendedoras. A região do Algarve, foco desta análise, é palco de um multiculturalismo, sendo o local do país escolhido para muitos cidadãos e cidadãs de nacionalidade estrangeira que por lá passam em férias, se mudarem para viver e sobretudo também para empreender. Existe uma comunidade de mulheres empreendedoras que, na diáspora, apostam nesta região, sendo este um outro lado da temática das migrações a explorar neste artigo. Esta é assim uma análise ao contributo da mulher no desenvolvimento económico e social de um local, região ou país, onde existem em maioria habitantes do sexo feminino e onde a conscientização da necessidade de paridade de género se coloca em premissa como uma alavanca tão fundamental, como as atividades empreendedoras o são para a crise global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Amich, Maria José (2015), apud in http://www.womenwinwin.com/documentos/image/media/Revista-Exclusiva.pdf

………………(2016), apud in

http://economico.sapo.pt/mulheres-criam-35-dos-negocios-em-portugal_206692.html

Baert, Patrick e Silva, Filipe (2014), Teoria Social Contemporânea, Lisboa: Mundos Sociais Editora

Baptista, R., & Leitão, J. (2015). Entrepreneurship, Human Capital, and Regional Development. Heidelberg: Springer.

Bauman, Zygmund, (2007), Liquid Times: living in age of uncertainly, Cambridge, Cambridge Press;

Boava et al (2011), Empreendedorismo explicitado à maneira dos Filósofos, V Encontro de Estudos em Estratégia, Porto Alegre/RS;

Casaca, Sara (2012), Mudanças Laborais e relações de género: novos vetores de (des)igualdade, Coimbra, Almedina;

Castells, Manuel (2006), A Sociedade em Rede, Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda;

Chaves, Rosário e Parente, Cristina (2011), O Empreendedorismo na escola e o paradigma das competências, Sociologia, Problemas e Práticas, n.º 67, pp.65-84;

Covas, Maria das Mercês Cabrita de Mendonça, Portugal na rota da imigração dos cidadãos comunitários: o caso da região algarvia, Actas dos Ateliers do Vº Congresso de Sociologia;

Ferreira, Virginia (2010), A igualdade de Mulheres e Homens no Trabalho e no Emprego em Portugal –Políticas e Circunstâncias, Lisboa: CITE

GEM Portugal Report 2012 (2013), National Reports, apud in www.gemconsortium.org/report/48775 ;

GEM Report 2014 (2015a), Global Reports, apud in www.gemconsortium.org/report/49079 ;

GEM 2014 Women’s Report (2015b), Special Topic Reports, apud in www.gemconsortium.org/report/49281 ;

Giddens, Anthony (2000), Dualidade da Estrutura – Agência e Estrutura, Oeiras: Celta Editora

INE (2011), Recenseamento Geral da População. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda

Lukes, Steve (2005), Power, a radical view, 2nd ed., Palgrave;

Malheiros et al (2010), Mulheres Imigrantes Empreendedoras, Colecção estudos de género 7, Lisboa, Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG);

OECD, ILO, IFM, WBG (2014), ‘Achieving stronger growth by promoting a more-gender-balanced economy’, Report prepared for the G20 Labour and Employment Ministerial Meeting Melbourne, Australia, apud in https://www.oecd.org/g20/topics/employment-and-social-policy/ILO-IMF-OECD-WBG-Achieving-stronger-growth-by-promoting-a-more-gender-balanced-economy-G20.pdf ;

Oliveira, Catarina Sales (2011), Mobilidade e classes médias em contexto metropolitano, tese de doutoramento. Lisboa: ISCTE-IUL;

Oliveira, Catarina Sales e Villas-Boas, Susana (2012), Igualdade de Género na Universidade da Beira Interior, Revista Ex Aequo, nº 25, Dossier: Políticas de Igualdade: agendas, instrumentos e protagonistas, Vila Franca de Xira, Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres (APEM);

Robeyns, Ingrid (2003), Sen’s Capability Approach and Gender Inequality: Selecting Relevant Capabilities, Feminist Economics, 9, 2, pp. 61-92

Santos et al (2015), RIS3 Algarve 2014-2020, Faro, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve

Santos, Sandra (2012), As Teorias Feministas e a Evolução das Relações de Género na Sociedade, Ponta Grossa, Revista UEPG – Ciências Sociais;

Sarkar, Soumodip (2007), Empreendedorismo e Inovação, Lisboa: Escolar Editora

Shumpeter, Joseph (1934), Theory of Economy Development, New Yok: Oxford University Press;

Shutz, Alfred (1979), Fenomenologia e Relações Sociais, Rio de Janeiro, Zarkar Editores

Weber, Marx (2010), Conceitos Sociológicos Fundamentais. Covilhã: Universidade da Beira Interior.

Publicado

2016-09-30

Como Citar

VIEIRA, E. C. A MULHER EMPREENDEDORA NA DIÁSPORA PELO ALGARVE. Gênero & Direito, [S. l.], v. 5, n. 2, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ged/article/view/30598. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Migração, Mobilidade & Direitos Humanos