GÊNERO, IGREJA E DOMINAÇÃO

Autores

  • Isabela Vince Esgalha Fernandes Advogada e Mestranda em Direitos Humanos pela Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2179-7137.2019v8n3.47760

Palavras-chave:

Violência de gênero. Igreja católica. Ideologia. Direitos Humanos.

Resumo

A violência de gênero está presente nos mais diversos aspectos sociais. Uma das formas mais sutis de sua materialização está na violência simbólica, reproduzida na cultura, educação e tradições presentes em nossa sociedade. Neste trabalho, será dado enfoque para o tratamento dado às mulheres pela Igreja católica, que configura uma das instituições responsáveis pelo controle social, e, portanto, detém grande potencial de influenciar a construção das subjetividades, e assim, reproduzir desigualdades e violências. O trabalho busca refletir acerca do papel histórico da Instituição em relação à construção da desigualdade de gênero, bem como as estratégias e como aspectos de sua doutrina que contribuíram e até hoje contribuem para a manutenção desta estrutura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alves, Branca Moreira; Pitanguy, Jacqueline. O que é feminismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985. 20 v. (Coleção primeiros passos) 77 p.

Auad, Daniela. Feminismo, que história é essa? Rio de Janeiro: Editora CP&A, 2003.

p.106

Bourdieu, Pierre. A dominação masculina. (2014) 3ª Edição, Rio de Janeiro: Best Bolso.

Brasil. LEI Nº 11.340, DE 7 DE AGOSTO DE 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 08 de agosto.2006. Seção 1, p. 01

Carvalho Netto, Menelick; Scotti, Guilherme. "Os direitos fundamentais e a (in) certeza do direito: a produtividade das tensões principiológicas e a superação do sistema de regras." (2011) Belo Horizonte: Fórum.

Campos, Amini Haddad; Corrêa, Lindinalva Rodrigues. Direitos Humanos das Mulheres. (2012). Curitiba: Editora Juruá.

Candiotto, Jaci de Fátima Souza. A leitura da criação e da antropologia teológica a partir das relações de gênero. INTERAÇÕES, v. 7, n. 11, p. 147-163, 2012.

Colling, Ana Maria. Tempos diferentes, discursos iguais: a construção do corpo feminino na história. (2014) Dou¬rados: Ed. UFGD.

Federici, Silvia. Calibã e a bruxa. (2017) São Paulo: Elefante.

Ferreira, Letícia Schneider. Entre Eva e Maria: a construção do feminino e as representações do pecado da luxúria no Livro das confissões de Martin Perez. 2012.

Flores Herrera, Joaquín. La reinvención de los Derechos Humanos. Sevilla: Atrapasueños. 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogía do oprimido. (2005) Rio de Janeiro/São Paulo : Siglo XXI,

Gebara, Ivone. “Corpo, novo ponto de partida da teologia”. In: Ribeiro, Cláudio (org.). Rasgando o Verbo – Teologia Feminista em foco. (2016) São Paulo: Fonte Editorial.

Hooks, Bell. Ensinando a transgredir: A educação como prática de liberdade. (2017) São Paulo: Martins Fontes

Junqueira, Rogério Diniz. Políticas públicas de educação: entre o direito à educação e a ofensiva antigênero p. 179-203 in Ribeiro, Paula Regina Costa et al. Corpo, gênero e sexualidade: resistência e ocupa (ações) nos espaços de educação. 2018.

Küng, Hans. A igreja católica. São Paulo: Ed. Objetiva, 2002.

Nascimento, Luana Regina Ferreira. Aplicação da Lei Maria da Penha: um estudo sobre estereótipos de gênero no Judiciário. 2012. 83 f. Dissertação (Mestrado em Política Social) Departamento de Serviço Social da Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

Pinsky, Carla Bassanezi. "Estudos de gênero e história social." Estudos feministas (2009): 159-189.

Rosa, Lilian Rodrigues de Oliveira. A Igreja Católica Apostólica Romana e o Estado Brasileiro: estratégias de inserção política da Santa Sé no Brasil entre 1920 e 1937. 2011.

Segato, Rita Laura. Las estructuras elementales de la violencia: contrato y status en la etiología de la violencia. Universidade de Brasília, Departamento de Antropologia, 2003.

Tilly, Charles. Durable inequality. (1998) Los Angeles: Univ of California Press

Downloads

Publicado

2019-08-30

Como Citar

FERNANDES, I. V. E. GÊNERO, IGREJA E DOMINAÇÃO. Gênero & Direito, [S. l.], v. 8, n. 3, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2179-7137.2019v8n3.47760. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ged/article/view/47760. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

Direitos Humanos e Políticas Públicas de Gênero