TEATRO EXPERIMENTAL DO NEGRO

a tragicidade de um relacionamento inter-racial em Sortilégio (1951), de Abdias do Nascimento (1914-2011)

Autores

  • Denise Rocha Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2177-8841.2020v11n2.56540

Resumo

Escrita em 1951, censurada em 1953 e encenada no ano de 1957, a peça Sortilégio, de Abdias do Nascimento, foi elaborada em conformidade com os objetivos do Teatro Experimental do Negro que visava acabar com os estereótipos do negro na cena cultural nacional e possibilitar a valorização dos artistas de origem africana. A questão do futuro nascimento de uma criança mestiça assusta a esposa alva do médico escuro, desencadeia o assassinato dela e a fuga do marido que busca sua redenção em um terreiro de candomblé que antes rejeitara. Sob a perspectiva das reflexões sobre o racismo, o colonialismo e a cor de pele (Fanon) e da ótica da tragédia grega (Aristóteles), serão analisadas, de um lado, as relações inter-raciais no Brasil de raiz escravocrata que revelam preconceito, discriminação, identidade e aceitação. E, de outro, o anseio do Dr. Emanuel de buscar sua ascensão social através do matrimônio com uma branca. Esta atitude reflete uma ideologia pessoal de matriz colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-08

Como Citar

ROCHA, D. TEATRO EXPERIMENTAL DO NEGRO: a tragicidade de um relacionamento inter-racial em Sortilégio (1951), de Abdias do Nascimento (1914-2011). MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 11, n. 2, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2020v11n2.56540. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/moringa/article/view/56540. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Instrumentos e métodos