O CONCEITO DE EXPERIÊNCIA NOS TRABALHOS DE WILLIAM JAMES E JOHN DEWEY E O TEATRO IMPROVISACIONAL DE VIOLA SPOLIN

Autores

  • Karine Ramaldes Universidade Federal de Goiás
  • Robson Corrêa de Camargo Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2177-8841.2020v11n2.56664

Resumo

A partir da pesquisa bibliográfica relacionada com a prática pedagógica dos jogos teatrais, este artigo estabelece uma reflexão entre o sistema de Viola Spolin e o conceito de experiência, em algumas de suas abordagens, principalmente as reflexões a partir de William James e John Dewey. O estudo ocorre dentro do marco investigativo do mestrado e doutorado em Performances Culturais da Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-13

Como Citar

RAMALDES, K.; CAMARGO, R. C. de. O CONCEITO DE EXPERIÊNCIA NOS TRABALHOS DE WILLIAM JAMES E JOHN DEWEY E O TEATRO IMPROVISACIONAL DE VIOLA SPOLIN . MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 11, n. 2, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2020v11n2.56664. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/moringa/article/view/56664. Acesso em: 24 jul. 2024.