A AGRICULTURA URBANA COMO PRÁXIS DE UM TERRITÓRIO ‘HÍBRIDO’ E COMPLEXO. Singularidades e contradições que permeiam as atividades hortícolas na cidade de Natal, RN

  • Miriam Hermi Zaar Universidad de Barcelona
Palavras-chave: Território, Cidade-campo, Agricultura urbana, Comunidade do Gramorezinho

Resumo

Analisar o território nas suas múltiplas escalas, exige a aplicação de parâmetros analíticos fundamentados em uma dinamicidade na qual elementos e processos se imbricam reiteradamente, engendrando uma ampla diversidade de ‘fragmentos territoriais’, que se combinam e se contrapõem. É neste contexto que cidade e campo, urbano e rural se integram e suas múltiplas práxis (ações e reações) se aproximam, se mesclam e incluso se confundem. A agricultura urbana é uma destas práticas, e reflete, ainda que em lógicas diversas, a atual complexidade territorial. O exemplo analisado contempla a reprodução dos horticultores da Comunidade do Gramorezinho, Natal/RN, na qual as singularidades histórico-espaciais (ambientais, socioeconômicas e administrativas) têm delineado diferentes processos que ora se articulam e ora se contradizem.

Biografia do Autor

Miriam Hermi Zaar, Universidad de Barcelona
Vinculada ao Portal Geocrítica e ao Departamento de Geografía da Universidad de Barcelona
Publicado
2017-12-27
Seção
Artigos