IMPLICAÇÕES DAS ALTERAÇÕES NO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NAS PERDAS DE SOLO DA BACIA DO RIO DE ONDAS, ESTADO DA BAHIA

  • Pedro Henrique Bagnara Fistarol Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB)
  • José Yure Gomes dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Resumo

O início da ocupação na região Oeste da Bahia para fins agrícolas ocorreu no final da década de 1970, o que acarretou uma intensa degradação da vegetação nativa de Cerrado ali existente. Dentre as bacias que passaram por esse processo intenso de alteração no seu uso e ocupação do solo destaca-se a Bacia do Rio de Ondas, que é uma das principais sub-bacias do Rio Grande, que por sua vez é o último grande tributário da margem esquerda do Rio São Francisco. Diante dessa problemática, o presente trabalho tem como objetivo analisar as implicações das alterações no uso e ocupação do solo da Bacia do Rio de Ondas na sua produção de sedimentos. Para tanto foi utilizada a USLE em ambiente SIG e analisadas as perdas de solo para os cenários de 1975 e 2015. Em que foi constatado que a Bacia do Rio de Ondas passou por uma intensa alteração no seu uso e ocupação do solo nos últimos 40 anos, com a supressão de cerca de 47% de área de vegetação nativa, o que influenciou de maneira significativa no aumento da produção de sedimentos da bacia, tendo como fatores de maior influência o fator topográfico (LS) e o de uso e ocupação do solo (C). As perdas de solo na Bacia do Rio de Ondas foram consideradas moderadas, para as condições atuais de uso e ocupação do solo, mas podem ser intensificadas com o aumento da substituição da vegetação nativa por áreas agrícolas.

Biografia do Autor

José Yure Gomes dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
Publicado
2020-05-07
Seção
Artigos