[ID 33507] (IN)SEGURANÇA ALIMENTAR, INDICADORES SOCIOECONÔMICOS E PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE MULHERES CONTEMPLADAS POR PROGRAMA SOCIAL

  • Juliana Mikaelly Dias Soares Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Diego Felipe dos Santos Silva Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Ana Ediléia Barbosa Pereira Leal Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)
  • Otoniel Santos Neto Universidade de Pernambuco (UPE)

Resumo

Objetivo: Apresentar a prevalência de (in)segurança alimentar e nutricional e analisar a associação desta com alguns indicadores socioeconômicos e o perfil antropométrico das mulheres beneficiadas por programa social. Metodologia: A população do estudo foi constituída por mulheres beneficiadas pelo programa Minha Casa Minha Vida, no Município de Petrolina-PE. Foram coletadas informações sobre os indicadores socioeconômicos, como raça, escolaridade, renda, quantidade de moradores. Foram aferidos o peso (Kg) e a altura para o cálculo do IMC. Por fim, foram coletadas as informações sobre (in)segurança alimentar por meio da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). Resultados: A amostra do estudo foi constituída por 206 mulheres, em que 23,3% de suas famílias investigadas apresentaram segurança alimentar. O restante apresentou insegurança alimentar, 53,4% apresentaram insegurança leve, 13,6% insegurança moderada e 9,7% insegurança alimentar grave. O perfil antropométrico dessas mulheres não mostrou associação com a (in)segurança alimentar, sendo que 3,4% encontraram-se com baixo peso, 44,2% encontraram-se eutróficas e 52,4% apresentaram sobrepeso ou obesidade. Os indicadores socioeconômicos associados foram a renda total do domicílio, a escolaridade e a raça, enquanto a quantidade de moradores não se associou. A maior parte das mulheres eram pardas ou negras, possuíam baixa escolaridade e um rendimento domiciliar de até 1 salário mínimo, com quatro ou cinco moradores em seu domicílio. Conclusão: A população beneficiada apresenta elevado índice de insegurança alimentar, que está associada à baixa qualidade vida. Dessa forma, programas precisam sejam reformulados para garantir aos brasileiros acesso as necessidades básicas que possam assegurar bem-estar e qualidade vida. DESCRITORES: Segurança Alimentar e Nutricional. Fatores Socioeconômicos. Avaliação Nutricional. Índice de Massa Corporal. Política Social.
Publicado
2020-03-24
Como Citar
Dias Soares, J. M., dos Santos Silva, D. F., Barbosa Pereira Leal, A. E., & Santos Neto, O. (2020). [ID 33507] (IN)SEGURANÇA ALIMENTAR, INDICADORES SOCIOECONÔMICOS E PERFIL ANTROPOMÉTRICO DE MULHERES CONTEMPLADAS POR PROGRAMA SOCIAL . Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 24(1). https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2020v24n1.33507
Seção
Pesquisa