[ID 42079] OFICINA SOBRE ALEITAMENTO MATERNO COM AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE: DO SABER AO APRENDIZADO

  • Darlan Rafael Santos Silva Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unita), Caruaru, PE, Brasil.
  • Evelin Ferreira de Oliveira Santos Centro Universitário Tabosa de Almeida – Asces - Unita, Caruaru, Pernambuco, Brasil.
  • Hortência Gonçalves de Carvalho Centro Universitário Tabosa de Almeida – Asces - Unita, Caruaru, Pernambuco, Brasil.
  • Nayale Lucinda Andrade de Albuquerque Docente de Enfermagem no Centro Universitário Tabosa de Almeida - Caruaru - Pernambuco – Brasil.
  • Raquel Bezerra dos Santos Docente de Enfermagem no Centro Universitário Tabosa de Almeida - Caruaru - Pernambuco – Brasil.
  • Thyago da Costa Wanderley Docente de Enfermagem no Centro Universitário Tabosa de Almeida - Caruaru - Pernambuco – Brasil.
  • Vanessa Juvino de Souza Docente de Enfermagem no Centro Universitário Tabosa de Almeida - Caruaru - Pernambuco – Brasil.

Resumo

Objetivo: avaliar o impacto de uma oficina sobre aleitamento materno para Agentes Comunitários de Saúde. Material e Métodos: Trata-se de um estudo transversal, descritivo-exploratório, com abordagem quantitativa, realizado com duzentos e trinta e seis Agentes Comunitários de Saúde do Município de Caruaru-PE, os quais foram submetidos a uma avaliação antes e após a participação na oficina. Os dados foram analisados pelo software estatístico SPSS, versão 16.0, tendo sido realizado o teste do Qui-quadrado de Pearson. Neste estudo, optou-se por trabalhar, apenas, com três dados sociodemográficos, além da formação profissional cruzados a seis eixos de linhas de conhecimentos trabalhadas e avaliadas. Resultados: Entre as linhas de conhecimentos aprimoradas e aprendidas, a maior quantidade de saberes verificados na pré-oficina se deu pelo conhecimento de que não existe aleitamento materno fraco, alcançando um percentual de 74,5%. Na pós-oficina, obteve-se um aprendizado considerável acerca do uso de sutiã furado e esponja vegetal no mamilo não devem ser indicados para preparar a mama para amamentação, alcançando um aumento de 56,4% quando comparado as respostas dadas nesse eixo, antes da oficina. Conclusão: Oportunizou-se a desconstrução de determinadas ideias entre os profissionais, notado pelo aumento da média de acertos após a segunda avaliação realizada. No entanto, ressalta-se a pertinência da criação e implementação de momentos educativos sobre a temática para esse público, com vistas a impactar na adoção de práticas/orientações mais fidedignas que visem o fortalecimento do apoio ao aleitamento materno. DESCRITORES: Amamentação. Educação permanente. Reciclagem.

Biografia do Autor

Darlan Rafael Santos Silva, Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unita), Caruaru, PE, Brasil.
Área: Enfermagem. Departamento: Centro Universitário Tabosa Almeida (Asces-Unita),Caruaru, PE, Brasil.
Publicado
2019-12-16
Como Citar
Santos Silva, D. R., Evelin Ferreira de Oliveira Santos, Hortência Gonçalves de Carvalho, Nayale Lucinda Andrade de Albuquerque, Raquel Bezerra dos Santos, Thyago da Costa Wanderley, & Vanessa Juvino de Souza. (2019). [ID 42079] OFICINA SOBRE ALEITAMENTO MATERNO COM AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE: DO SABER AO APRENDIZADO. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 23(4). https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2019v23n4.42079
Seção
Pesquisa