DA MEMÓRIA: movimentos de “não esquecer” em currículos de Língua Portuguesa da cidade de São Paulo.

Palavras-chave: Currículo. Língua Portuguesa. Memória.

Resumo

Este artigo tem como objetivo verificar como a categoria “memória discursiva” permite movimentos de esquecimento e lembrança, principalmente no que diz respeito à concepção de linguagem, a partir de um corpus constituído por cinco documentos curriculares de Língua Portuguesa, publicados em gestões e épocas diferentes, os quais foram coletados no setor de Memória Técnica da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. Para tanto, filiamo-nos à Análise do Discurso de orientação francesa para discutir os dados. A categoria de análise, em confronto com os dados, demonstrou que o esquecimento e apagamento de concepções e abordagens propostas nos documentos curriculares estão, de alguma forma, ligadas a um ideário político-ideológico das gestões que atuaram na produção dos respectivos currículos.

Biografia do Autor

Felipe de Souza Costa, Universidade de São Paulo (USP)
Professor de Língua Portuguesa na Rede Municipal de Ensino de São Paulo. E-mail: fedesouzacosta@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-7214-8915

Referências

APPLE, Michael Whitman. Ideologia e currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

AZEVEDO, Álvares de. Lira dos vinte anos. São Paulo: Martin Claret, 2006.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética. A teoria do romance. São Paulo: Hucitec, 2002.

BARTLETT, Frederic Charles. Remembering: a study in experimental and social psichology. London: Cambridge University Press, 1932.

BRAIT, Beth. Os textos chamam, a memória responde. Todas as letras, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 125-137, 2012.

GADET, Françoise; HAK, Tony (orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas (SP): Editora UNICAMP, 1997.

HALBWACHS, Maurice. Memória coletiva e memória individual. In: A memória coletiva. Trad. L. L. Schaffter. São Paulo: Vértice, 1990. p. 25-52.

POSSENTI, Sírio. Questões para analistas do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2009a.

______. Os limites do discurso: ensaios sobre discurso e sujeito. São Paulo, 2009b.

SÃO PAULO (SP). Programa de 1º grau: Língua Portuguesa – 5ª a 8ª séries. São Paulo: SME/Diretoria de Planejamento e Orientação, 1985.

______. Visão de área: Português. São Paulo: SME/Diretoria de Orientação Técnica, 1991.

______. Orientações Curriculares e proposição de expectativas de aprendizagem para o Ensino Fundamental: Ciclo II – Língua Portuguesa. São Paulo: SME/Diretoria de Orientação Técnica, 2007.

______. Direitos de Aprendizagem dos Ciclos Interdisciplinar e Autoral: Língua Portuguesa. São Paulo: SME/Coordenadoria Pedagógica, 2016.

______. Currículo da Cidade de São Paulo: Língua Portuguesa. São Paulo: SME/Coordenadoria Pedagógica, 2017.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MIDDLETON, David; BROWN, Steven. D. Territorialising experience: Maurice Halbwachs on memory. In: ______. The Social Psychology of Experience: Studies in Remembering and Forgetting. London: Sage, 2005.

MIDDLETON, David; EDWARDS, Derek. Collective remembering. London: Sage Publication, 1990.

SHOTTER, John. The social construction of remembering and forgetting. In: MIDDLETON, David; EDWARDS, Derek. Collective Remembering. London: Sage Publications, 1990. p. 120-138.

Publicado
2019-10-03