https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/issue/feed Revista Temas em Educação 2021-06-01T15:04:31-03:00 Revista Temas em Educação revistateducppge@ce.ufpb.br Open Journal Systems <p><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Criada em 1991, a Revista Temas em Educação (RTE) publicou seu primeiro número na versão online em 2009. Com publicação quadrimestral e contínua, a partir de 2019, a RTE é uma revista eminentemente acadêmica, organizada pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFPB. </span><span style="vertical-align: inherit;">Sua prioridade é divulgar produções que resultem de estudos e pesquisas científicas de âmbito nacional e internacional.&nbsp;</span></span></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Qualis 2013-2016:</span></span></strong></p> <p><strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">B2&nbsp;</span></span></strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"> (Ensino; Linguística e Literatura),</span></span></p> <p><strong>B3&nbsp;</strong>(Educação; Ciências da Religião e Teologia; Administração Pública e de Empresas; Ciências Contábeis e Turismo; Ciências Ambientais)</p> <p><strong>B4&nbsp;</strong>(Psicologia; Serviço Social) e</p> <p><strong>B5&nbsp;</strong>(Sociologia; Educação Física)</p> <p><strong>ISSN: </strong>0104-2777 (Versão Impressa)</p> <p><strong>eISSN: </strong>2359-7003 (Versão On-line)</p> https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/58616 REVISÃO INTEGRATIVA: ADOLESCENTES AUTORES/AS DE ATO INFRACIONAL NO BRASIL 2021-06-01T15:04:31-03:00 Rafael Garcia Campos rafael.gcampos@outlook.com Dinair Ferreira Machado dinair.machado@unesp.br <p>As medidas socioeducativas podem restabelecer e intensificar a inserção dos/as adolescentes na sociedade, ajudando-os/as a reconstruir seu projeto de vida. As intervenções socioeducativas, devem respeitar as fases de desenvolvimento integral do/a adolescente, considerando suas potencialidades, sua subjetividade, suas capacidades e limitações, assegurando a particularidade no seu acompanhamento. Realizou-se uma revisão integrativa de literatura com o objetivo de analisar como vêm sendo estudadas as intervenções com adolescentes em conflito com a lei em cumprimento de medidas socioeducativas. O <em>corpus </em>de análise reuniu 17 artigos publicados, entre 2007 e 2015, localizados na base de dados LILACS. Todos os artigos foram publicados no Brasil, analisados na íntegra e utilizaram o método do estudo qualitativo, demonstrando assim uma preocupação com a interação e subjetividade que envolve a temática, pois estudar ações com adolescentes em conflito com a lei exige adentrar na complexidade em que se dá o comportamento e as vulnerabilidades desta fase da vida.</p> 2021-06-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/54213 A EDUCAÇÃO DO CAMPO NO CENÁRIO DA POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA: BREVE HISTÓRICO 2021-04-18T12:04:52-03:00 Ana Paula de Holanda Cavalcanti paulaholanda88@yahoo.com.br Waldênia Leão de Carvalho waldenialeao@gmail.com <p>Este artigo tem por objetivo apresentar um breve panorama sobre o surgimento e desenvolvimento das políticas públicas voltadas para a educação do campo. O aporte teórico está pautado na legislação vigente que a rege. A pesquisa de tipo documental foi realizada através de consulta, leitura, análise de documentos oficiais, relatórios, leis e portarias que tratam do tema, assim como acesso a sites oficiais do governo federal, a fóruns e comitês voltados ao tema. Os resultados mostram um histórico de negação do Estado brasileiro para com os povos do campo e, posteriormente, a luta dos movimentos e organizações sociais para o direito à educação dessas populações, que resultou na criação e desenvolvimento de programas e ações para as escolas do campo, como o transporte escolar, a elaboração de materiais didáticos específicos, a adequação da merenda escolar, programas referentes ao abastecimento de água, fornecimento de energia elétrica, a formação do professor na área, a formulação de documentos oficiais como leis e resoluções para regulamentação dessa modalidade, entre outros. Atualmente, mesmo com a desativação de vários programas, a educação do campo ainda luta pela garantia das escolas nos espaços rurais e pela sua inserção nas pautas centrais do debate educacional, como a inclusão do tema no Plano Nacional de Educação.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/55271 EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E A PROMOÇÃO DA SAÚDE: o que nos dizem os professores sobre suas práticas educativas? 2021-04-06T15:50:04-03:00 Lidiane Gonzaga e Silva lidiane.efi@hotmail.com Cláudia Mara Niquini cauniquini@gmail.com <p>O presente estudo configura-se como uma pesquisa de campo, de abordagem qualitativa, que buscou compreender como professores de Educação Física tratam e desenvolvem o tema saúde em suas aulas na escola. A partir do objetivo geral, a investigação analisa como os professores investigados compreendem o conceito de saúde; como propõem suas intervenções no campo da cultura corporal em articulações com o tema saúde; e em que medida o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) contribui para o professor sobre o específico tema. Para tanto, a investigação foi realizada mediante entrevistas semiestruturadas, realizadas junto a seis professores de educação física que atuam em instituições públicas estaduais de ensino. Para análise dos dados, o trabalho fundamentou-se na análise de conteúdo. Os professores entrevistados compreendem o conceito de saúde para além da ausência de doença e acreditam que há vários fatores que interferem nessa condição. Durante seus relatos foi possível verificar que eles articulam alguns conteúdos da educação física com o tema durante suas práticas pedagógicas, porém em uma perspectiva biologicista, carecendo de reflexões e de contribuições do PIBID neste valioso tema na escola.&nbsp;</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/54036 AS CONTRIBUIÇÕES DA ETNOMATEMÁTICA NA CONTEXTUALIZAÇÃO E NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA EM UMA ESCOLA DO CAMPO 2021-03-26T13:45:39-03:00 Klayton Santana Porto klaytonuesb@hotmail.com Eliana Bispo Vitória Nery elianamatmatica@gmail.com Olga Rodrigues dos Santos olgafsa2012@hotmail.com <p>Este artigo retrata uma pesquisa que teve como objetivo investigar as contribuições da Etnomatemática na contextualização e no processo de ensino e aprendizagem dos conceitos matemáticos das quatro operações fundamentais, em duas turmas do 6º ano do Ensino Fundamental de uma escola do campo. Realizamos uma pesquisa descritiva, de natureza qualitativa, desenvolvida com trinta e cinco estudantes de uma escola do campo da Rede Municipal de Educação de Feira de Santana-BA, situada em um distrito da zona rural deste município. Como instrumentos de coleta de dados utilizamos um pré-teste, diário de bordo e pós-teste. Nossos dados revelaram que o ensino da matemática, quando contextualizado por meio dos aportes da Etnomatemática, sobretudo quando levamos em consideração as vivências dos sujeitos do campo, contribuiu para melhorar o entendimento dos estudantes sobre os conceitos matemáticos relacionados às quatro operações matemáticas fundamentais.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/56096 MANGUEZAL PARA OS SENTIDOS: UMA EXPOSIÇÃO SENSORIAL COMO PRÁTICA INCLUSIVA 2021-04-12T22:46:53-03:00 Francielle Lima Alves francialvesgs@hotmail.com Sindiany Suelen Caduda dos Santos sindianyscs@gmail.com <p>A garantia de igualdade de condições de educação e permanência na escola é um direito de todos(as) e é assegurada por lei. Desta forma, é necessário garantir meios de ensino e aprendizagem que permitam a leitura do mundo a partir do conhecimento científico, de uma forma inclusiva. Este trabalho surgiu com o propósito de aproximar estudantes com deficiência visual a um dos ecossistemas mais ricos do estado de Sergipe: os manguezais. Para tanto, objetivou-se avaliar a experiência da aplicação de uma exposição sensorial no ecossistema de manguezal como uma proposta metodológica inclusiva de ensino e aprendizagem. Inicialmente, a exposição sensorial foi produzida e avaliada. Posteriormente, foram realizadas entrevistas com os sujeitos envolvidos. Durante a exposição, os dados foram coletados a partir da observação sistemática e analisados a partir de discursos. A exposição sensorial revelou a importância da elaboração de recursos didáticos inclusivos que reflitam sobre a realidade dos(as) alunos(as), aproximando-os(as) de uma realidade previamente desconhecida, e apontou de que forma a leitura de mundo dos(as) alunos ganhou significado em meio à estimulação olfativa e tátil.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/55465 ATUAÇÃO DO SETOR PRIVADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ESTUDO SOBRE UM MUNICÍPIO DO SUL BAHIA 2021-04-06T15:34:57-03:00 Emilia Peixoto Vieira emilcarl28@hotmail.com Celia Serafim Santana celiaserafim@live.com <p>A partir da década 2000, cresce a atuação empresarial no campo político e educacional, momento em que o setor privado passa assumir funções que antes eram de responsabilidade fundamentalmente do Estado. Diante desse contexto, o objetivo dessa pesquisa foi analisar a relação entre o setor público e o privado na Educação Infantil e identificar a inserção de grupos empresariais que oferecem serviços para essa etapa da Educação Básica, em parceria com um município no Sul da Bahia. É uma pesquisa guiada por uma leitura crítica e da totalidade da realidade, levando-nos a compreender tanto o universal e o particular quanto a relação do todo/parte. Realizou-se um levantamento bibliográfico, buscando artigos publicados entre os períodos de 2002 a 2019 sobre a temática<em>. </em>Utilizou-se também referências da pesquisa documental, disponíveis no <em>site</em> da Associação dos Municípios do Sul da Bahia, nas páginas dos Institutos NATURA e ARAPYAU, da empresa CARGILL, além de informações divulgadas por <em>Blogs</em> e Revistas da região. Os resultados mostram que há grande influência e atuação do setor privado na gestão do setor público, por meio das capacitações, parcerias, assessorias e fóruns. As empresas foram responsáveis por influenciar a elaboração de políticas educacionais municipais como PME, Jornada de Trabalho e Currículo da Educação Infantil.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/56306 ASSOCIAÇÃO ENTRE O CRONOTIPO E O DESEMPENHO ESCOLAR DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DE CURITIBA, PR 2021-05-25T09:42:28-03:00 Henrique Gomes henrique.polato@pucpr.br Hellen Monique Silva Bet hellen-monique@hotmail.com <p class="ResumoAbstract" style="text-indent: 0cm; line-height: normal;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Times New Roman',serif; color: windowtext;">O cronotipo constitui fator importante para o aprendizado e tarefas cotidianas. Alterações no ciclo sono-vigília podem ocorrer com maior frequência em adolescentes, o que também pode levar à diminuição de seu desempenho. Atualmente, tem se mostrado que quando o estudante está matriculado no mesmo período de acordo com seu cronotipo, seu desempenho escolar é melhor. Este trabalho teve como objetivo avaliar o cronotipo dos alunos do 9º ano e associar com as notas obtidas ao longo de um semestre. A pesquisa envolveu alunos de dois colégios públicos de Curitiba. As informações foram coletadas através de questionário de identificação do cronotipo. Teve também o apoio de um levantamento documental sobre o desempenho acadêmico dos alunos investigados. Observou-se nos resultados obtidos que o cronotipo intermediário é o mais comum entre esses adolescentes e que apenas 7% deles estudam em horário inapropriado ao seu cronotipo. Ficou demonstrado, também, que o rendimento escolar não sofreu interferência significativa do cronotipo, sexo ou idade do aluno, o que pode estar associado ao pequeno universo amostral de estudantes. Com base nos resultados, conclui-se que a aprendizagem destes estudantes não demonstrou relação com seu tipo cronobiológico, ou com a idade e o sexo, ainda que outras pesquisas sejam necessárias para melhor compreensão dessa relação.</span></p> 2021-06-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/57234 REPROVAÇÕES E EVASÃO: UMA ANÁLISE COM BASE NA METODOLOGIA DO INEP 2021-04-14T14:41:03-03:00 Andrea Felippe Cabello andreafc@gmail.com Tiago Medina Chagas tiagomedina@unb.br <p>O objetivo desse estudo é analisar como a reprovação afetou a evasão e a conclusão entre os alunos da Universidade de Brasília (UnB) no período entre 2010 e 2019, medida pelos indicadores proposto pelo INEP (2017), ou seja, a taxa de conclusão acumulada, a taxa de desistência acumulada e a taxa de permanência, em especial a reprovação nos dois primeiros anos de curso. O estudo é inovador ao utilizar dados de uma instituição e não apenas de um curso, considerando também dados de desempenho ao longo do curso (reprovações), complementando a análise tipicamente feita pelo INEP com dados do Censo da Educação Superior. Conclui-se que o efeito de reprovações é bastante negativo para a taxa de evasão e esse efeito é maior para aqueles que reprovaram no início do curso.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/53453 JOGOS, DIMENSÃO FORMATIVA E APRENDIZAGEM EM SOCIOLOGIA 2021-03-26T15:45:46-03:00 Vergas Vitória Andrade Silva vergasvitoria@yahoo.com.br Éberton da Costa Moreira costaeberton12@gmail.com Kleberson Almeida de Albuquerque klebersonalmeida@hotmail.com <p>Com base na perspectiva segundo a qual o jogo é um meio de desenvolvimento das capacidades humanas e um suporte para melhorar desempenhos escolares, este trabalho se propõe analisar as dimensões formativas do jogo na aprendizagem de sociologia. Para tanto, lança o seguinte problema de pesquisa: quais as possibilidades formativas dos jogos na compreensão de conteúdos sociológicos? Para dar conta desta questão, o artigo enfoca uma experiência educativa desenvolvida com alunos/as do 1º ano do ensino médio da Escola de Aplicação da UFPA. Dar respostas à problemática em pauta implicou recorrer a duas demandas centrais para os propósitos desta pesquisa: 1) verificar os aprendizados mediante estratégias de ensino com jogos e 2) examinar o nível de <em>dificuldade</em>, <em>interesse</em> e <em>satisfação, </em>demonstrado pelos/as discentes, no ato de jogar e aprender. Os resultados de nossa pesquisa empírica nos levam a depreender que o jogo funcionou como uma espécie de suporte para a aprendizagem de conteúdos considerados formais da sociologia, mas não somente isso. Conforme nossa análise, o emprego dos jogos permitiu desenvolver competências muito importantes como: aumento da interação entre alunos/as e entre professor-aluno; mais interesse na disciplina; aumento da capacidade de retenção do conteúdo; utilização de conceitos em situações cotidianas reais e crescimento no interesse e participação nas aulas de sociologia.</p> <p> </p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/57645 PARA ALÉM DA RAZÃO: EXPERIÊNCIAS RADICAIS DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS SOCIAIS (UMA REFLEXÃO SOBRE O CURSO TÓPICOS UTÓPICOS, 2017-2018) 2021-04-05T21:49:49-03:00 Jacques Mick jacques.mick@ufsc.br Noa Cykman noacykman@ucsb.edu Renata Andriolo Abel renata.abel@live.com <p>O artigo relata experiências pedagógicas radicais realizadas entre 2017 e 2018, no âmbito de um curso de extensão da Universidade Federal de Santa Catarina, chamado <em>Tópicos Utópicos</em>. O curso se propôs a tratar de temáticas pouco usuais nas disciplinas especializadas das ciências sociais (antropologia, sociologia, ciência política), explorando dinâmicas originais de estímulo à aprendizagem e de construção coletiva do conhecimento. Em torno de temas como o amor, a morte, a magia, o sonho, o curso alcançou 164 pessoas, de todos os níveis acadêmicos, com variados graus de engajamento. As estratégias adotadas tiveram por objetivo explorar aspectos não racionais e não convencionais da construção do saber, embora fundamentais – a arte, o jogo, o corpo, o afeto, o coletivo, o espontâneo etc. A combinação de grande variedade de dinâmicas de aprendizagem estimulou a dissolução de fronteiras entre o racional e o extra-racional. O resultado foram experiências intensas em criatividade, risco, estudo e compreensão. Tais práticas mobilizaram os conceitos de educação libertária e de educação não-formal, elementos de outras áreas do conhecimento e ainda saberes não-acadêmicos.</p> 2021-05-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação