Revista Temas em Educação https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo <p><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Criada em 1991, a Revista Temas em Educação (RTE) publicou seu primeiro número na versão online em 2009. Com publicação quadrimestral e contínua, a partir de 2019, a RTE é uma revista eminentemente acadêmica, organizada pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFPB. </span><span style="vertical-align: inherit;">Sua prioridade é divulgar produções que resultem de estudos e pesquisas científicas de âmbito nacional e internacional.&nbsp;</span></span></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Qualis 2013-2016:</span></span></strong></p> <p><strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">B2&nbsp;</span></span></strong><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"> (Ensino; Linguística e Literatura),</span></span></p> <p><strong>B3&nbsp;</strong>(Educação; Ciências da Religião e Teologia; Administração Pública e de Empresas; Ciências Contábeis e Turismo; Ciências Ambientais)</p> <p><strong>B4&nbsp;</strong>(Psicologia; Serviço Social) e</p> <p><strong>B5&nbsp;</strong>(Sociologia; Educação Física)</p> <p><strong>ISSN: </strong>0104-2777 (Versão Impressa)</p> <p><strong>eISSN: </strong>2359-7003 (Versão On-line)</p> Editora da UFPB pt-BR Revista Temas em Educação 0104-2777 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a>&nbsp;que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja&nbsp;<a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA – UMA REVISÃO DE LITERATURA https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/58954 <p>O objetivo deste artigo é discutir as compreensões da Educação de Jovens e Adultos na Educação Profissional e Tecnológica (EJA-EPT) a partir de concepções de Bourdieu e Freire, por meio de revisão de literatura que contempla a produção de artigos e pôsteres apresentados e publicados nos Anais da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped), com o recorte temporal de 2010 a 2020. As informações produzidas nesta revisão de literatura são relevantes para a verificação da produção acadêmica e abrangência da EJA-EPT. Os trabalhos selecionados na pesquisa foram categorizados como: implantação do PROEJA; EJA; inclusão; ingresso; currículo integrado e formação. Observou-se que há uma resistência por parte dos docentes e, por consequência, dos Institutos Federais, para a oferta da EJA, o que leva a crer que o <em>habitus </em>inserido nesses sujeitos, a dominação masculina, como também a violência simbólica, por vezes são silenciosas. Existe a lacuna de pesquisas direcionadas ao cumprimento do Decreto 5.840/2006 e sobre os índices de matrícula em EJA-EPT preconizados nas normas vigentes na Rede. </p> Karin Tyeko Anami Fátima Perez Zago De Oliveira Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-09-30 2021-09-30 30 3 41 60 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.58954 MULHERES NEGRAS E MATERNIDADE NA UNIVERSIDADE: UM ESTUDO DE CASO https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/59842 <p>O presente trabalho tem como foco contribuir<br />com reflexões sobre como a maternidade<br />atravessa a vida de uma mulher negra, e como<br />isso reverbera na vida da mãe estudante. O<br />ingresso no ensino superior representa aos jovens<br />um marco do início da vida adulta, mas como<br />essa etapa é vivenciada por uma mulher, após a<br />chegada dos filhos? Apresentamos, aqui, a<br />trajetória de vida de uma mulher negra e mãe,<br />com foco em como suas percepções de<br />maternidade foram construídas em sua infância,<br />como ela vivencia a maternidade e como é<br />ingressar e permanecer no ensino superior nesse<br />contexto. O objetivo geral desta pesquisa é<br />compreender como posicionamentos em relação à<br />maternidade perpassam a trajetória de vida de<br />uma mulher negra, mãe e estudante e se refletem<br />em sua trajetória acadêmica e vivências pessoais.<br />A análise dos resultados foi feita em busca dos<br />significados construídos pela participante ao<br />longo de sua trajetória e que surgiram através da<br />narrativa da entrevistada. Por fim, foi possível<br />observar que os espaços acadêmicos não foram<br />pensados para pessoas negras, mães e crianças.</p> Ana Karla de Jesus Rodrigues Cândida Beatriz Alves Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-09-30 2021-09-30 30 3 21 40 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.59842 Moradia e aprendizagem remota durante a pandemia de COVID-19 no Rio de Janeiro https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/55971 <p>Com a pandemia do corona vírus no inicio do ano de 2020, as diferentes escalas de poder que gerem a educação pública suspenderam as aulas presenciais para atender a medidas de isolamento social. Na rede estadual de ensino público do Rio de Janeiro, medidas foram tomadas sem nenhum tipo de debate ou planejamento para transferir o ensino presencial para a modalidade à distância. A contratação de serviço de uma plataforma on line se deu bem rapidamente sem atentar para as condições de estudantes e professores para seu uso. Mediante constantes declarações por parte das equipes diretivas, ou mesmo reportagens, de que haveria possibilidade de corte de salário, muitos professores passaram a adotar o sistema, mesmo não tendo domínio sobre as tecnologias e tampouco a certeza de que os acessos valeriam como dias letivos. A baixa adesão de estudantes ao sistema gerou a necessidade de entender sob que condições estudavam, mesmo tendo acesso a internet. A presente pesquisa avalia os resultados da aplicação de um micro censo sobre as condições de aprendizagem no ensino à distância, dando ênfase à situação de domicílio em uma escola pública estadual no bairro do Caju no Rio de Janeiro. Os resultados demonstram que o mero acesso à internet, que já não é pra todos, não é suficiente para a efetividade do processo de ensino-aprendizagem nesse momento.</p> Marcio D'Arrochella Marco Aurélio da Conceição Correa Erlan Raposo da Silva Copyright (c) 2021 Revista Temas em Educação https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-09-30 2021-09-30 30 3 1 20 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n3.55971