A QUESTÃO DE GÊNERO NO PROJETO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL: UMA VISÃO HISTÓRICA

Hildete Pereira de Melo

Resumo


Este artigo se limita a discutir um dos aspectos mais controvertidos da proposta de Emenda Constitucional (PEC 287/2016) da Reforma da Previdência Social que propõe a igualdade entre os sexos em relação à aposentadoria, estabelecendo uma idade mínima de 65 anos para ambos os sexos, argumentando que, como as mulheres vivem cerca de sete anos mais que a população masculina, a paridade entre os sexos é justa. O movimento feminista gritou. Como construir a igualdade apenas dificultando a vida das mulheres trabalhadoras que conciliam com tanto esforço a vida familiar e a do trabalho? Assim, este artigo primeiro discute a história do desenho da legislação da previdência nacional e de como se instituiu esta legislação diferenciada. E, na segunda parte, à luz da divisão sexual do trabalho, analisa a sobrecarga que as mulheres enfrentam com os cuidados e afazeres domésticos que prestam gratuitamente para a sociedade.

Palavras-chave: Reforma da previdência social. Divisão sexual do trabalho.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: