GERENCIAMENTO DE RISCOS NO ACERVO DO ARQUIVO DA FUNDAÇÃO CASA DE JOSÉ AMÉRICO NA CIDADE DE JOÃO PESSOA – PB

  • Alcivan Candido da Silva UFPB
  • Genoveva Batista do Nascimento UFPB
Palavras-chave: Gerenciamento de riscos. Arquivo da Fundação Casa de José Américo. Acervo arquivístico.

Resumo

O gerenciamento de riscos nos arquivos tem o propósito de intervir preventivamente com relação às ações que possam causar danos ao patrimônio arquivístico. Neste contexto, a pesquisa objetiva conhecer como é realizado o gerenciamento de riscos no acervo do Arquivo da Fundação Casa de José Américo. Caracteriza-se como bibliográfica, exploratória e descritiva, sendo utilizada a abordagem qualitativa. Para coleta de dados utilizou-se a entrevista estruturada aplicada a Diretora do Departamento de Documentação e Arquivo da Fundação. Os resultados apontam que não existe efetivamente um plano de gestão de riscos, porém o acervo faz uso de atividades ligadas a esse procedimento. As ações empregadas no arquivo visando sua proteção consistem em higienização ambiental e documental, dedetização, revisão do ar condicionado central, prevenção de goteiras, proibição do consumo de alimentos no arquivo. Com relação aos agentes de deterioração mais frequentes no ambiente, destaca-se o aparecimento de insetos e fungos, umidade e calor excessivos e manuseio inadequado dos documentos. Portanto, percebe-se a necessidade de se elaborar um planejamento de ações que visem à proteção preventiva do arquivo.

Biografia do Autor

Alcivan Candido da Silva, UFPB
Bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba
Genoveva Batista do Nascimento, UFPB

Professora do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Biografia de José Américo de Almeida. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: <http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=728&sid=344>. Acesso em: 20 out. 2014.

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Gerenciamento de riscos: uma técnica de proteção de acervos. São Paulo, 2010. Disponível em: <http://www.arquivoestado.sp.gov.br/gerenciamento_riscos.php>. Acesso em: 19 nov. 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR, ISO 31000: Gestão de Riscos – Princípios e diretrizes. Rio de Janeiro, 2009.

BARBOZA, Kleumanery de Melo. Gestão de riscos para acervos museológicos. 2011. 159 f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/JSSS8H8NC9/dissertacao_kleumanery.pdf?sequence=1>. Acesso em: 10 nov. 2014.

_______.; FRANÇA, Conceição Linda de; SOUZA, Luiz Antonio C. Aplicação do gerenciamento de riscos ao acervo de oratórios do Museu Regional de Caeté – Minas Gerais – Brasil. In: SEMEDO, Alice; NASCIMENTO, Elisa Noronha (Coord.). I SEMINÁRIO DE INVESTIGAÇÃO EM MUSEOLOGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA E ESPANHOLA, 1., 2010, Porto. Actas... Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Letras, 2010. p. 390-401. Disponível em: <http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/8143.pdf >. Acesso em: 10 nov.2014.

CASSARES, Norma Cianflone. Como fazer conservação preventiva em arquivos e bibliotecas. São Paulo: Arquivo do Estado / Imprensa Oficial São Paulo, 2000.

FUNDAÇÃO CASA DE JOSÉ AMÉRICO. João Pessoa, 2014. Disponível em: <http://www.fcja.pb.gov.br>. Acesso em: 20 out. 2014.

HOLLÓS, Adriana Cox; PEDERSOLI JUNIOR, José Luiz. Gerenciamento de riscos: Uma abordagem interdisciplinar. Ponto de Acesso. Salvador, V3, n.1, p.72-81, abr. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Coordenação de Patrimônio Museológico. PONTIM, Carolina e et al. Programa para a gestão de riscos ao patrimônio musealizado brasileiro. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: <http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/programa_PGRPMB_web.pdf>. Acesso em: 21 dez. 2014.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1990.

MORANO, Cássia Andréa Ruotolo; MARTINS, Claudia Garrido; FERREIRA, Miguel Luiz Ribeiro. Aplicação das técnicas de identificação de risco em empreendimentos de E & P. ENGEVISTA, v. 8, n. 2, dez. 2006. Disponível em: <http://www.uff.br/engevista/2_8Engevista6.pdf>. Acesso em: 29 out. 2014.

PONTIM, Carolina et al. INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Coordenação de Patrimônio Museológico. Programa para a gestão de riscos ao patrimônio musealizado brasileiro. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Museus; Coordenação de Patrimônio Museológico, 2013. Disponível em: <http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/programa_PGRPMB_web.pdf>. Acesso em: 21 dez. 2014.

SPINELLI, Jayme; PEDERSOLI JÚNIOR, José Luiz. Biblioteca Nacional – Plano de gerenciamento de riscos: salvaguarda & emergência. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2010. Disponível em: <http://www.bn.br/sites/default/files/documentos/diversos/2014/1103preservacao/preservacao-472.pdf >. Acesso em: 19 nov. 2014.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

Publicado
2015-06-30
Como Citar
SILVA, A. C. DA; NASCIMENTO, G. B. DO. GERENCIAMENTO DE RISCOS NO ACERVO DO ARQUIVO DA FUNDAÇÃO CASA DE JOSÉ AMÉRICO NA CIDADE DE JOÃO PESSOA – PB. Archeion Online, v. 3, n. 1, p. 25-44, 30 jun. 2015.
Seção
Relatos de Pesquisa

Artigos mais lidos do (s) mesmo (s) autor (es)