Gestão de documentos digitais na Cidade Viva: uma proposta de uso do archivematica como repositório para recolhimento de objetos digitais permanentes

  • Joseane Farias de Souza Graduanda em Arquivologia, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
  • Mariana Alves Soares Graduanda em Arquivologia, UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
  • Jéssica do Nascimento Fernandes Graduanda em Arquivologia, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
  • Josemar Henrique de Melo Professor do curso de graduação de Arquivologia, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
Palavras-chave: Arquivo digital, Storage, Armazenamento de documentos digitais, Archivematica,

Resumo

Um dos maiores desafios diante do cenário de evolução e uso das tecnologias da informação implica na questão da gestão de documentos em ambiente digital. Porquanto, essa pesquisa tem característica empírica e qualitativa que tem como campo a Cidade Viva, com o objetivo de traçar um caminho da Gestão Documental para a sistematização de seu Arquivo digital, baseando-se na da cadeia de custódia para garantia da autenticidade e fidedignidade dos documentos. Para tanto, realizou-se um levantamento de literatura com destaque em Flores (2016), Rocco (2013), e-ARQ Brasil (2011) e o Guia do usuário Archivematica (2016), como também material desenvolvido pela Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos (2014). Como metodologia, destaca-se o diagnóstico de arquivo, entrevista não estruturada, observação direta assistemática, discussões com os envolvidos em formato de reunião e a análise do objeto. Mostra os resultados obtidos a partir do diagnóstico, enfatizando a elaboração de uma proposta de gestão arquivística no que concerne à estruturação do Arquivo Digital dessa entidade, indicando o Archivematica como Repositório Digital Confiável para o recolhimento de documentos permanentes em conjunto com o storage, bem como a elaboração do Plano de Classificação e da Tabela de Temporalidade para nortearem o ciclo vital dos objetos digitais.

Biografia do Autor

Joseane Farias de Souza, Graduanda em Arquivologia, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
Técnica de Arquivo na Cidade Viva
Josemar Henrique de Melo, Professor do curso de graduação de Arquivologia, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
Doutor em Documentação pela Universidade do Porto (Portugal) com reconhecimento em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). 

Referências

BRASIL. Lei nº 8.159 de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8159.htm>. Acesso em: 26 mar. 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Arquivos. Resolução nº 20 de 16 de julho de 2004. Dispõe sobre a inserção dos documentos digitais em programas de gestão arquivística de documentos dos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de arquivos. Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/legislacao/resolucoes-do-conarq/262-resolucao-n-20,-de-16-de-julho-de-2004.html>. Acesso em: 26 mar. 2017.

________. Conselho Nacional de Arquivos. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Glossário de documentos arquivísticos digitais. Rio de Janeiro: CONARQ, 2014. Disponível em: <http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/images/ctde/Glossario/2014ctdeglossario_v6_public.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

________. Conselho Nacional de Arquivos. E-Arq: modelo de requisitos de gestão arquivística de documentos: versão 1.1. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011. Disponível em: <http://www.siga.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes/e-arq.pdf>. Acesso em: 23 fev. 2017.

CANEDO, F. S. S.; TEIXEIRA, V. O.; BRUSCHI, G. C.. Gerenciamento e alta disponibilidade em armazenamento de banco de dados. Caderno de Estudos Tecnológicos, v. 1, n. 1, 2013.

CASTELLS, M.; ESPANHA, R. A era da informação: economia, sociedade e cultura. Paz e terra, 1999.

COSTA, M. et al. Guia do usuário Archivematica. Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, 2016. Disponível em: <http://livroaberto.ibict.br/123456789/1063/4/Manual-Archivematica.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2017.

FLORES, D. Manutenção da autenticidade, confiabilidade e fonte de prova dos documentos arquivísticos digitais (do SIGAD ao RDC-Arq). Câmara Municipal de São Paulo. São Paulo – SP. 124 slides, color, Padrão Slides Google Drive/Docs 4x3. Material elaborado para a Palestra na Unicamp, 19 de abril de 2016. Disponível em: <http://documentosdigitais.blogspot.com>. Acesso em: 29 abr. 2017.

FLORES, D.; ROCCO, B. C. B.; SANTOS, H. M.. Cadeia de custódia para documentos arquivísticos digitais. Acervo, v. 29, n. 2, p. 117-132, 2016.

FONTANA, F. F. et al. Archivematica como ferramenta para acesso e preservação digital à longo prazo. 2014. Disponível em: <https://agora.emnuvens.com.br/ra/article/view/457/pdf_40>. Acesso em: 29 abr. 2017.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.

PAIXÃO, R. A. G. Para a normalização da descrição arquivística: proposta de um modelo de referência. 2011. Tese de Doutorado.

ROCCO, B. C. B. Um estudo sobre gestão de documentos arquivísticos digitais na Administração Pública Federal brasileira. 2013. Disponível em: <http://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/711/1/rocco2013.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2017.

SOUSA, R. T. B. Classificação de documentos arquivísticos: trajetória de um conceito. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 120-142, ago./dez. 2006. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/948/2/ARTIGO_ClassificacaoDocumentoArquivistico.pdf>. Acesso em: 12 maio 2017.

SOUZA, J. F. et al. Manutenção da cadeia de custódia: proposta de implantação e uso de softwares para gestão de documentos digitais na Fundação Cidade Viva. In: VIII SEMINÁRIO DE SABERES ARQUIVÍSTICOS, 2017, João Pessoa. Anais eletrônicos... João Pessoa: UFPB, 2017. Disponível em: <http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/viii/sesa/paper/view/4585/2795>. Acesso em: 15 set. 2017.

THOMAZ, K. P.; SOARES, A. J. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS). Datagramazero, v. 5, n. 1, fev. 2004. Disponível em:<http://www.dgz.org.br/fe-v04/F_I_art.htm>. Acesso em: 22 mar. 2017.

VIANA, C. L M.; ARELLANO, M. A. M. Repositórios institucionais baseados em DSpace e EPrints e sua viabilidade nas instituições acadêmico-científicas. 2006. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Cassandra_Viana/publication/28805980_Repositorios_institucionais_baseados_em_DSpace_e_EPrints_e_sua_viabilidade_nas_instituicoes_academico-cientificas/links/549c017e0cf2fedbc30fbdfb/Repositorios-institucionais-baseados-em-DSpace-e-EPrints-e-sua-viabilidade-nas-instituicoes-academico-cientificas.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2017

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. 2. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Publicado
2017-12-30
Como Citar
SOUZA, J. F. DE; SOARES, M. A.; FERNANDES, J. DO N.; MELO, J. H. DE. Gestão de documentos digitais na Cidade Viva: uma proposta de uso do archivematica como repositório para recolhimento de objetos digitais permanentes. Archeion Online, v. 5, n. 4, p. 84-102, 30 dez. 2017.