COTAS PARA QUÊ?

  • Lays Macena Batista Universidade Federal da Paraíba

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre ações afirmativas, com recorte para as cotas raciais, um dos temas que têm sido causa de muita divergência entre a população brasileira em geral, e principalmente no âmbito acadêmico. Discutir as políticas de cotas raciais no Brasil, tem apresentado diversas dificuldades, entre elas, está o mito da Democracia Racial, que alimenta a ideia de que no nosso país as relações etnicorraciais não influenciam nas relações sociais e políticas da nossa sociedade. Temos como objetivo neste trabalho, refletir sobre a necessidade da adoção das políticas de cotas raciais no sistema de ensino superior, como forma de combater a desigualdade social, promovendo a oportunidade de acesso e permanência, no ensino público de qualidade. Esta pesquisa é de caráter bibliográfico, realizada a partir de leituras e diálogos com trabalhos sobre a área e análises a relatórios que demonstram a desigualdade racial no meio educacional (Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil; 2009-2010) e dados do IPEA. Faremos uma breve reflexão sobre a História da Educação da população negra no Brasil, E assim, buscaremos argumentar a favor da implementação das cotas raciais, como meio para promoção da ascensão social de quem ainda está à margem na sociedade brasileira, a população negra. Palavras-chave: Ações afirmativas. Cotas raciais. Ensino Superior.

Biografia do Autor

Lays Macena Batista, Universidade Federal da Paraíba
Graduanda do curso de Pedagogia na Universidade Federal da Paraiba. Atualmente bolsista do Projeto de Pesquisa vinculado ao programa Prolicen, intitulado "História da Educação da População negra na Paraíba: Primeiras Aproximações."Sob a orientação da Profª Surya Aaronovich Pombo de Barros. Linha de Atuação: História da Educação: relações étnico-raciais e educação.
Publicado
2013-03-01
Seção
Iniciação Científica