A RECRIAÇÃO DE VOZES MARGINAIS NA ESCRITURA DE MIA COUTO: O CANTO SILENCIOSO DAS PERSONAGENS DE “O ADIADO AVÔ”

  • José Aldo Ribeiro Universidade de Pernambuco- Campus Garanhuns

Resumo

A escritura de Mia Couto é permeada pela recriação de personagens que se situam à margem da sociedade. O fazer literário desse intelectual confere voz a homens e mulheres silenciados pelas desigualdades sociais presentes em seu país e, dessa forma, evidencia a relevância da palavra nos contextos sociais que ambientam suas “estórias”. As falas e, muitas vezes, os silêncios mantidos pelas personagens de Mia são amplamente significativos na tessitura de suas narrativas, não somente por nos remeterem às situações vivenciadas pelo povo moçambicano, mas por trazerem à tona anseios e tormentos inerentes à condição humana. Diante disso, este trabalho analisa o uso da linguagem pelas personagens do conto “O adiado avô” (publicado no livro ‘O fio das Missangas’) na perspectiva de demonstrar a importância da voz e da omissão da mesma nos universos ficcionais arquitetados por Mia Couto. Para tanto, nos apoiamos nas constatações de estudiosos como Paul Zumthor, Leila Hernandez, Ana Mafalda Leite e Manuel Ferreira.

Biografia do Autor

José Aldo Ribeiro, Universidade de Pernambuco- Campus Garanhuns
É graduado em Letras pela Universidade de Pernambuco - Campus Garanhuns. Atua principalmente em trabalhos voltados para as literaturas de língua portuguesa.
Publicado
2013-03-01
Seção
História, Memória e Diáspora Africana