Tempo de Exposição ao Regime de Ciclos no Ensino Fundamental e os Efeitos sobre Indicadores Educacionais e Sociais no Brasil

  • Aléssio Tony Cavalcanti de Almeida UFPB
  • Antonio Vinícius Barbosa UFPE
  • Paula Spinola UFRJ
  • Jamilly Santos UFBA
  • Juliana Scriptore USP
Palavras-chave: Ciclos. Tempo de exposição. Resultados educacionais. Indicadores sociais.

Resumo

Este estudo tem por objetivo avaliar os efeitos da adoção do regime de Ciclos (progressão continuada) sobre indicadores educacionais e sociais nas escolas públicas de ensino fundamental (EF) no Brasil, considerando diferentes períodos de exposição a esse regime. Para tanto, utiliza-se o método de diferenças em diferenças com reponderação baseada no propensity score matching para a função condicional média e para diferentes quantis da distribuição condicional dos indicadores. As evidências apontam que a adoção dos Ciclos impacta negativamente na proficiência em matemática e português - sobretudo, para o 5º ano do EF -, porém as magnitudes das estimativas não implicam alterações expressivas na posição das escolas sob Ciclos e Séries na escala de proficiência do SAEB. Por outro lado, as escolas especialmente com 3 anos ou mais de exposição à progressão continuada apresentam menores taxas de distorção idade-série na série final da primeira fase do EF, assim como observa-se para o 9º ano do EF um elevado aumento nas taxas de conclusão escolar e expectativas dos discentes permanecerem estudando. O efeito sobre a redução dos custos de oportunidade dos jovens, capturados pelas suas perspectivas educacionais após o EF, ocorre com maior intensidade no extremo negativo da distribuição condicional desse indicador. Portanto, conclui-se que os resultados auferidos realçam a importância da inclusão do tempo de exposição para melhor identificar os impactos da adoção da progressão continuada.

Biografia do Autor

Aléssio Tony Cavalcanti de Almeida, UFPB
Professor Adjunto do Departamento de Economia da UFPB
Publicado
2018-06-27
Seção
Artigos