O Pensamento, a Análise e a Reflexão em Tempos de Excesso e Obsolescência da Informação

  • Jailma Simone Gonçalves Leite UFPB
  • Júlio Afonso Sá de Pinho Neto UFPB

Resumo

Diante de um crescente processo de obsolescência programada voltado para a informação, discute-se as consequências desse fenômeno para a construção do conhecimento na sociedade contemporânea. Argumenta-se sobre a necessidade de repensar o modelo positivista atribuído à chamada “Sociedade da Informação”, considerando as novas possibilidades e recursos provenientes da utilização das tecnologias da informação e comunicação, que inegavelmente contribuem para gerar uma sobrecarga informativa advinda do excesso de conteúdos agora disponíveis nas redes digitais. Tal estado de coisas é consequência de uma crescente oferta de conteúdos informacionais que se renovam ininterruptamente, gerando problemas que vão desde a legitimidade das informações coletadas até a dificuldade de compreensão das mesmas, o que acaba por arrefecer a capacidade de análise, crítica e reflexão a partir do acesso a tais conteúdos. Todos esses fatores vêm provocando uma angústia típica dos tempos atuais, a ansiedade da informação, que, por sua vez, vem exigir a realização de um debate ético onde devem ser discutidas as possibilidades de gestão da informação e do conhecimento a partir da elaboração de verdadeiras políticas nessa área.

Biografia do Autor

Júlio Afonso Sá de Pinho Neto, UFPB
Professor permanente do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba

Referências

BAUDRILLARD, J. A transparência do mal: ensaios sobre os fenômenos extremos. 7. ed. São Paulo: Papirus, 2003, pp. 51- 57.

BOURDIEU, P. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1997.

BROOKES, B. The derivation and application of the Bradford - Zipf distribution. Journal of Documentation, v. 24, n. 4, p. 247-265; 1968.

CAPURRO, R. O crescimento mundial da rede digital leva a uma ética global da informação? In: Revista Internacional de Teologia: Ciberespaço, Ciberética, Ciberteologia, v. 1, n. 309, p. 38-49, 2005,

CASTELLS, M. O poder da identidade. Vol. 2. Tradução de Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

CHESNEAUX, J. Modernidade-Mundo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

DUPAS, G. Ética e Poder na Sociedade da Informação. 2 ed. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

FREIRE, G. H. Comunicação da Informação em redes virtuais de aprendizagem. Tese (Doutorado em Ciências da Informação). Convênio CNPq/IBICT – UFRJ/ECO, 2004. Disponível em: http://www.isafreire.pro.br/gustavo_freire_tese.pdf. Acesso em: 16 jul. 2013.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. Novas fronteiras tecnológicas das ações de informação: questões e abordagens. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 55-67, jan./abril 2004.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. 6. ed. São Paulo: Edição Loyola, 1996.

KEEN, A. O culto do amador: como blogs, myspace, youtubee a pirataria digital estão destruindo nossa economia,cultura e valores. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

KUMAR, K. Da sociedade pós-industrial à pós-moderna. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1997.

LE COADIC, Yves-Francois. A ciência da informação. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

LÉVY, P. A inteligência coletiva. 5 ed. Tradução de Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

LOPES, M; FUJINO, A.; NORONHA, D. P. (Org.). Informação e Contemporaneidade: perspectivas. Recife: NÉCTAR, 2007.

MATTELART, Armand. História da Ciência da Informação. 2. ed. São Paulo. Edições Loyola, 2006.

MORESI, E. A. D. Inteligência organizacional: Um referencial integrado. Universidade de Brasília – UnB. Ciência da Informação. May, 2001. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652001000200006&lng=en&nrm=iso.> Acesso em: 01 jul. 2013.

OBERHOFER, C. M. A. Valor da informação: percepção versus quantificação. Ciência da Informação, Brasília, n. 20(2): 119-129, jul./dez. 1991.

PINHO NETO, J. A. S. de. Internet, sociabilidade e consumo. Goiás: Editora UFG, 2004.

______. As novas tecnologias da informação e comunicação diante da transversalidade entre natureza e cultura. Culturas Midiáticas, v. 1, p. 09-18, 2008.

QUÉAU, P. Trad. Henri Gervaiseau. In: PARENTE, André (org.). Imagem máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993. 304 p. , 91-99p.

WURMAN, R. S. Ansiedade de informação: como transformar informação em compreensão. 5. ed., São Paulo: Cultura Editores Associados, 1991.

VIRILIO, P. O Espaço Crítico. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

Publicado
2014-12-31
Seção
ARTIGOS DE PESQUISA