Ciência da Informação, Imagem e Tecnologia

  • Ana Carolina Simionato Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Júlio Afonso Sá de Pinho Neto Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos Universidade Estadual Paulista - UNESP

Resumo

Com o aprimoramento da tecnologia, novas possibilidades ocasionaram o aumento da produção imagética, derivado de várias técnicas da fotografia e então, o desenvolvimento para a imagem digital. Nesse contexto, as imagens são recursos informacionais específicos e necessitam de um direcionamento adequado para representação e organização, processos sob responsabilidade da área de Ciência da Informação. Com o objetivo de contribuir a cerca das reflexões sobre o uso da fotografia e as diferenças para a imagem digital, como também, sobre o uso e a velocidade tecnológica para disseminação, optou-se em utilizar uma metodologia de natureza teórica de abordagem qualitativa e classificada como um estudo exploratório sobre o tema. Considera-se a dinamicidade do meio digital, como nova oportunidade a esta área como desenvolvimento de trabalho e estudo, sendo prerrogativa para a interpretação de formas coerentes às necessidades representativas da da criação imagética e conceitualmente às formas mais apropriadas a sua linguagem.

Biografia do Autor

Ana Carolina Simionato, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Departamento de Ciência da Informação - DCI/UFSCar
Júlio Afonso Sá de Pinho Neto, Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Departamento de Comunicação da Universidade Federal da Paraíba - UFPB, coordenador do Curso de Relações Publicas e professor do Curso de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - PPGCI da UFPB.
Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa Santos, Universidade Estadual Paulista - UNESP
Departamento de Ciência da Informação e Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - UNESP

Referências

AUMONT, J. A imagem. Campinas: Papirus, 1996.

BARRETO, A. A. Os destinos da ciência da informação: entre o cristal e a chama. Informação & Sociedade: estudos, v. 9, n. 2, 1999. Disponível em: <http://www.okara.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/397>. Acesso em: 28 jul. 2015.

BAUDRILLARD, J. A transparência do mal: ensaio sobre fenômenos extremos. Campinas: Papirus, 1992.

BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, W. Sobre arte, técnica, linguagem e política. Lisboa: Antropos, 1992. p. 166-196.

BOURDIEU, P. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

BUCKLAND, M. K. Information as thing?. Journal of the American Society of Science Information, v. 42, n. 5, 1991. p. 351-360. Disponível em: <http://skat.ihmc.us/rid=1KR7VC4CQ-SLX5RG-5T39/BUCKLAND(1991)-informationasthing.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2015.

CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. The concept of information. Annual review of information science and technology, v. 37, n. 1, 2003. p. 343-411. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/aris.1440370109/abstract;jsessionid=EA99044D000BB3F1EABC558F5E3FEA6C.f04t03?deniedAccessCustomisedMessage=&userIsAuthenticated=false>. Acesso em: 28 jul. 2015.

CASTRO, J. A. Fotografia digital: os novos paradigmas da informação visual. Juiz de Fora: INTERCOM, 2007. (Apresentação no XII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Região Sudeste – Juiz de Fora – MG).

DUBOIS, P. O ato fotográfico. Campinas: Papirus, 2000.

FREITAG, B. A teoria crítica: ontem e hoje. São Paulo: Brasiliense, 1986.

GIACOMELLI, I. L. A transição tecnológica do fotojornalismo: da câmara escura ao digital. Florianópolis: Insular, 2012.

GIL, A. C. Metodologia da pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

JORENTE; M. J. V.; SANTOS, P. L. V. A. C. Hábitos, rupturas e novas possibilidades de compartilhamento de informação e de conhecimento. In: Informação & Sociedade. João Pessoa, v.20, n.3, p. 13-26, 2010. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/4837>. Acesso em: 28 jul. 2015.

LE COADIC, Y. F. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MORIN, E. Da necessidade de um pensamento complexo. In: MARTINS, F. M.; SILVA, J. M. (Orgs.). Para navegar no século XXI: tecnologias do imaginário e cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003.

PANOFSKY, E. Significado nas artes visuais. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1979.

PINHO NETO, J. A. S. As novas tecnologias da informação e comunicação diante da transversalidade entre natureza e cultura. In: Culturas midiáticas, ano.1, n.1, 2008.

QUÉAU, P. O tempo do virtual. In: PARENTE, A. (org.) Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: 34 Letras, 1999. p.91-100.

SÁNCHEZ VIGIL, J. M. El documento fotográfico: historia, usos, aplicaciones. Madri: Ediciones Trea, 2006.

SCHAEFFER, J. M. A imagem precária: sobre o dispositivo fotográfico. Campinas: Papirus, 1996.

SHATFORD, S. Analyzing the subject of a picture: a theoretical approach. Cataloging & Classification, v. 6, n. 3, p. 39-62, 1986.

SMIT, J. W.; BARRETO, A. A. Ciência da Informação: base conceitual para a formação do profissional. In: VALENTIM, M. P. (Org.) Formação do profissional da informação. São Paulo: Polis, 2002. p. 9-23.

SONTAG, S. Ensaio sobre fotografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

TACCA, F. Imagem fotográfica: aparelho, representação e significação. In: Psicologia & Sociedade. Florianópolis: ABRAPSO, v.17, 2005. p. 09-17. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/psoc/v17n3/a02v17n3.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2015.

VIRILIO, P. O espaço crítico e as perspectivas do tempo real. Rio de Janeiro: Ed. 34 Letras, 1993.

Publicado
2015-12-31
Seção
ARTIGOS DE PESQUISA