Jogos On-line na Educação Patrimonial: resultados preliminares

  • Leandro de Abreu Souza Jaccoud Fundação Casa de Rui Barbosa
  • Marta Ribeiro Rocha de Senna Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB)

Resumo

O presente trabalho pretende apresentar a pesquisa “A educação patrimonial em arquivos e o uso de jogos cooperativos on-line. Monitoramento e avaliação do módulo educativo do sítio ‘Escravidão, abolição e pós-abolição’” e os resultados preliminares obtidos até o momento. A pesquisa analisa a importância da educação patrimonial em/a partir dos arquivos, baseando-se na iniciativa da da Fundação Casa de Rui Barbosa, com a criação de um módulo educativo no sítio “Escravidão, abolição e pós-abolição”, que disponibiliza ao seu público-alvo jogos digitais cooperativos on-line, inovando nas formas de disseminação e novos usos do patrimônio documental, com o uso da tecnologia da informação. O monitoramento e a avaliação do módulo de jogos permitirão determinar a relevância ou irrelevância desse tipo de iniciativa, apontando, caso necessário, para o(s) aspecto(s) que necessitam de adequações. Para a realização da pesquisa foram cruzados os números dos relatórios emitidos pelo Google Analytics, dos relatórios gerenciais do próprio módulo educativo e, também, dos resultados obtidos a partir da realização de oficinas com o público-alvo. Os resultados preliminares apontam para a validade da iniciativa nos termos propostos no sítio “Escravidão, abolição e pós-abolição”, com a necessidade de complementação do ambiente educativo com jogos que permitam diversão mais duradoura, experiência de imersão mais profunda e a programação do sítio e do ambiente de jogos para dispositivos móveis.

Biografia do Autor

Leandro de Abreu Souza Jaccoud, Fundação Casa de Rui Barbosa

Leandro de Abreu Souza Jaccoud é graduado em História pelo Centro Universitário Moacyr Bastos (MSB - RJ). Graduado em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF - RJ). Especialização em História do Brasil pela Universidade Candido Mendes (UCAM-RJ) e Mestre em Memória e Acervos pelo Programa de Pós-graduação em Memória e Acervos da Fundação Casa de Rui Barbosa (PPGMA/FCRB-RJ). Atua profissionalmente no Serviço de Arquivo Histórico e Institucional da Fundação Casa de Rui Barbosa (SAHI-RJ) e como Professor docente do Sistema Público Estadual de Educação do Rio de Janeiro.

 

Marta Ribeiro Rocha de Senna, Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB)
Marta Ribeiro Rocha e Silva de Senna tem graduação em Letras Português Literaturas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Licenciatura Especial em Língua Inglesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, mestrado em Letras (Ciência da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado em Literatura Brasileira - Kings College University of London. Realizou pesquisa de pós-doutorado na Universidade de Oxford, sobre a Viagem sentimental, de Laurence Sterne, como prática ficcional da epistemologia de Hume. Atualmente é presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: Machado de Assis, narrativa, ficção, literatura comparada, intertextualidade e conteúdos digitais na área de humanidades.

Referências

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Difusão editorial, cultural e educativa em arquivos. In: ______. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 227-247.

COSTA, Frederico Lustosa da; CASTANHAR, José Cezar. Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Rap, Rio de Janeiro, v. 5, n. 37, p. 969-992, 2003. Bimestral. Disponível em: <http://app.ebape.fgv.br/comum/arq /Costa_ castanha.pdf>. Acesso em: 27 set. 2015.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FRATINI, Renata. Educação patrimonial em arquivos. Histórica: revista eletrônica do Arquivo Público do Estado de São Paulo, São Paulo, n. 34, p. 39-49, 2009. Bimestral. Disponível em: <http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/assets/publicacao/anexo/historica34.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2015.

MARCONDES, Carlos H. Tecnologias da informação e impacto na formação do profissional da informação. Transinformação, v. 11, n. 3, 2012.

PETRY, Luis Carlos. O conceito ontológico de jogo. In: ALVES, Lynn; COUTINHO, Isa de Jesus (Org.). Jogos digitais e aprendizagem: fundamentos para uma prática baseada em evidências. Campinas: Papirus, 2016. p. 17-42.

RIBEIRO, Marcelo Silva de Souza; CARVALHO, Rodrigo Clementino. In: Lynn; COUTINHO, Isa de Jesus (Org.). Jogos digitais e aprendizagem: fundamentos para uma prática baseada em evidências. Campinas: Papirus, 2016. p. 209-226.

SANTIAGO, Renata. Taxa de Rejeição: saiba como compreendê-la e evite erros na sua análise. [20--]. Disponível em: <http://marketingdeconteudo.com/taxa-de-rejeicao/>. Acesso em: 1 dez. 2016.

SARACEVIC, Tefko. Tecnologia da informação, sistemas de informação e informação como utilidade pública. Ciência da informação, v. 3, n. 1, 1974.

SAVI, Rafael et al. Proposta de um modelo de avaliação de jogos educacionais. Renote: revista novas tecnologias na educação, Porto Alegre, v. 8, n. 3, 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 maio 2016.

UNICEF. Guide for monitoring and evaluation: making a difference? New York: Unicef, 1990. Disponível em: <http://preval.org/documentos/00473.pdf>. Acesso em: 27 set. 2015.

______. Monitoring and evaluation quick reference. New York: Unicef, 2005. Disponível em:

<https://www.unicef.org/evaluation/files/ME_PPP_Manual_2005_013006.pdf>. Acesso em: 27 set. 2015.

Sítios consultados

FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA. Escravidão, abolição e pós-abolição. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: <http://www.memoriaescravidao.rb.gov.br/>. Acesso em: 14 abr. 2016.

GOOGLE Analytics. c2017. Disponível em: <https://analytics.google.com/analytics/ web/#report/defaultid/a68834485w105736614p110045833/> . Acesso em: 17 maio 2017.

UNICEF. Quem somos. Disponível em: <https://www.unicef.org/brazil/pt/>. Acesso em: 8 maio 2017.

Publicado
2018-10-20