Aplicação do DCC&U para Curadoria de Objetos Culturais Digitais

Resumo

Esta pesquisa analisou as contribuições e apontou os desafios da aplicação do ciclo de vida estendido da curadoria digital (DCC&U), a fim de garantir a preservação, disponibilização e acesso a longo prazo a acervos de objetos culturais digitais. Esta foi uma pesquisa descritiva, bibliográfica e experimental, com abordagem qualitativa. Foi tomado como corpus de estudo uma amostra dos acervos do projeto Afrobrasileiro, este projeto nasce de uma parceria entre a Universidade Federal de Pernambuco e o Ministério da Cultura, devido a sua relevância como fonte de informação sobre a cultura, história e memória da população afro-brasileira. Como resultado, a partir das referências consultadas e da experiência de uso do modelo, foram registradas dificuldades, limitações e lições aprendidas para aplicação de um modelo que abrange informações contextuais. Conclui-se que é fundamental que a descrição e contextualização dos objetos culturais digitais sejam realizadas na criação dos mesmos, pois, são informações difíceis de levantar posteriormente, especialmente, se não for possível o contato com os criadores dos objetos. Além de, capacitar quem for trabalhar no processo de curadoria digital e orientando-os para realizar de maneira adequada, as ações sob sua responsabilidade.

Biografia do Autor

Faysa de Maria Oliveira e Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
Arquivista da Câmara Municipal do Recife; Mestre em Ciência da Informação - UFPE; Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco.
Sandra de Albuquerque Siebra, UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
Professora do Departamento de Ciência da Informação - DCI/UFPE; Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - PPGCI/UFPE; Pesquisadora no Líber/UFPE.

Referências

ABBOTT, D. What is digital curation? Edinburgh, UK: Digital Curation Centre, 2008. Disponível em: <http://www.era.lib.ed.ac.uk/bitstream/1842/3362/1/Abbott%20What%20is%20digital%20curation_%20_%20Digital%20Curation%20Centre%234291.html> Acesso em: 17 jul. 2017.

ARELLANO, M. A. M. Preservação de documentos digitais. In: Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/ci/v33n2/a02v33n2.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2017.

BORBA, V. da R. et al. Políticas de Formatos de Arquivos para Objetos de Aprendizagem: Preservação Digital no Saber Tecnologias Educacionais e Sociais. Informação & Tecnologia, v. 2, n. 1, 2015. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/itec/article/view/21537 >. Acesso em 10 jul. 2017.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário oficia da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm > Acesso em: 17 jul. 2017

BRASIL. Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 9 de janeiro de 2003. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm> Acesso em: 18 jul. 2017.

CANEVACCI, M. Um novo pensamento científico para o contexto da cultura digital. [S.l: s.n]; [São Paulo: s.n], 2013. Disponível em: <http://www.iea.usp.br/noticias/massimo-canevacci > Acesso em 30 jun 2017.

CONSTANTOPOULOS, P.; DALLAS C. Aspectos de uma agenda de curadoria digital para herança cultural. IEEE International Conference on Distributed Human-Sistemas de Máquinas. Atenas, Grécia: IEEE, 2008.

CONSTANTOPOULOS, P. et al. DCC&U: An Extended Digital Curation Lifecycle Model. The International Journal of Digital Curation. n. 1, vol. 4, p.34-45, 2009

FONSECA, A. R. Educação Patrimonial: o objeto cultural como fonte primária para o conhecimento crítico. In: Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos.... Rio de Janeiro: ANPAP, 2011. Disponível em: <http://www.anpap.org.br/anais/2011/pdf/ceav/alice_registro_fonseca.pdf >. Acesso em: 22 jul. 2017.

HARVEY, R. Digital Curation: a how-to-do-it manual. New York: Neal-Schuman, 2010.

HIGGINS, Sarah. The DCC Curation LifeCycle Model. The International Journal of Digital Curation. v. 3, n. 1, p. 134-140, 2008. Disponível em: <http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/view/69 >. Acesso em: 10 jul. 2017.

LEMOS, J. F.; JORENTE, M. J. V.; NAKANO, N. O paradigma pós custodial e sua representação no design da informação no sítio do arquivo nacional do Reino Unido. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.10, n.2, p. 674-690, novembro 2014. Disponível em: <http://liinc.revista.ibict.br/index.php/liinc/article/view/736 >. Acesso em: 20 jun. 2017.

MINC. MINISTÉRIO DA CULTURA. 2014. Disponível em: <http://www.cultura.gov.br/>. Acesso em: 15 jun. 2017.

RIBEIRO, F. Gestão da informação/Preservação da memória na era pós-custodial: um equilíbrio precário? In: CONSERVAR PARA QUÊ? Atas 8ª Mesa Redonda de Primavera. Porto: Departamento de Ciências e Técnicas do Patrimônio, Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 2005. Disponível em: <http://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/39365 >. Acesso em: 22 jul. 2017.

RIBEIRO, O. B.; VIDOTTI S. A. B. G. Otimização do acesso à informação científica: discussão sobre a aplicação de elementos de arquitetura de informação. Biblos. Rio Grande, v. 23, n. 2, 2009. Disponível em: <https://www.seer.furg.br/biblos/article/view/1309/593>. Acesso em: 25 abr 2017.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SALES, L.; SAYÃO, L. F. O impacto da curadoria digital dos dados de pesquisa na comunicação científica. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação. Florianópolis, v. 17, n. esp. 2 – III SBCC, p.118-135, 2012. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p118 >. Acesso em: 12 mai. 2015

SANTOS, T. N. C. Curadoria Digital: o conceito no período de 2000 a 2013. 2014. 166f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, Brasília, 2014. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/17324/1/2014_ThayseNataliaCantanhedeSantos.pdf >. Acesso em: 04 jun. 2017.

SAVAZONI, R.; COHN, S. (orgs). Cultura Digital.br. Rio de Janeiro: Beco do Azougue Editorial Ltda, 2009. Disponível em: <http://www.cultura.gov.br/site/wpcontent/uploads/2009/09/cultura-digital-br.pdf >. Acesso em: 17 jul. 2017.

SIEBRA, S. de A. et al. Curadoria digital: além da questão da preservação digital. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação – ENANCIB, 14o., Florianópolis, 2013. Anais eletrônicos... Florianópolis: UFSC, 2014 Disponível em: <http://enancib.sites.ufsc.br/index.php/enancib2013/XIVenancib/paper/viewFile/317/320>. Acesso em: 07 jul. 2017.

SPENCER, D.; WARFEL, T. Card sorting: a definitive guide. Publicado em 7 de abril de 2004. Disponível em: <http://boxesandarrows.com/card-sorting-a-definitive-guide>. Acesso em 18 jul. 2017.

TAINACAN. Disponível em: < http://afro.culturadigital.br/ >. Acesso em: 13 jan. 2017.

THIBODEAU, K. Overview of technological approaches to digital preservation and challenges in coming years. In: The state of digital preservation: an international perspective, 2002. Proceedings... Washington: CLIR and Library of Congress, 2002. Disponível em: <http://www.clir.org/pubs/reports/pub107/pub107.pdf#page=10 >. Acesso em: 10 jul. 2017.

VIMEO. Disponível em: <https://vimeo.com/doburacoaomundo> Acesso em: 10 jan. 2017

YAKEL, E. Digital Curation. OCLC Systems & Services, v.23, n. 4, 2007, p. 335-340.

Publicado
2018-10-20