Dados e significados: Uma ilustração de aplicação analytics

Palavras-chave: Data science, big data, analytics, OLAP

Resumo

Em um contexto de grande oferta de dados e técnicas de exploração ("big data" e "data science"), um aspecto central da demanda atualmente enfrentada pelos administradores é a atenção aos dados, num espectro que contempla desde a criação/identificação/captura do dado até o seu emprego. "Analytics" é o termo que descreve a atividade de emprego do dado, com o objetivo de extrair significados que não são evidenciados diretamente pelos dados originais. Este documento sintetiza o processo de desenvolvimento de um aplicativo de software e o seu emprego em análises descritiva, diagnóstica, preditiva e prescritiva, com o objetivo de ilustrar analytics na prática administrativa.

Referências

Agarwal, R., & Dhar, V. (2014). Big data, data science, and analytics: The opportunity and challenge for IS research. Information Systems Research, 25(3), 443-448.

Davenport, T. H., & Prusak, L. (1998). Working knowledge: How organizations manage what they know. Harvard Business Press.

Grant, R. M. (1996). Toward a knowledge-based theory of the firm. Strategic Management Journal, 17(S2), 109-122.

Gregor, S. (2006). The nature of theory in information systems. MIS quarterly, 611-642.

Haig, B. D. (2005). An abductive theory of scientific method. Psychological methods, 10(4), 371.

Kimball, R., & Ross, M. (2011). The data warehouse toolkit: the complete guide to dimensional modeling. John Wiley & Sons.

McAfee, A., Brynjolfsson, E., Davenport, T. H., Patil, D. J., & Barton, D. (2012). Big data: the management revolution. Harvard business review, 90(10), 60-68.

Porter, M. E., & Heppelmann, J. E. (2015). How smart, connected products are transforming companies. Harvard Business Review, 93(10), 96-114.

Simon, H. A. (1950). Administrative behavior. New York: Macmillan.

Publicado
2018-06-30
Edição
Seção
Dados & Significados