Biblioteca como lugar de memória e eco de conhecimento: um olhar sobre “O Nome da Rosa"

  • Cesar Augusto Castro
Palavras-chave: História das bibliotecas, Biblioteca e memória, Preservação documental, Livro e leitura

Resumo

Analisa-se a biblioteca como lugar de memória e espaço de produção e circulação de conhecimento, a partir do texto O Nome da Rosa , de Umberto Eco, tomado como referência. Evidenciam-se as diferentes formas de criação e destruição desse espaço de memória em diferentes sociedades, bem como as diferentes estratégias de salvaguarda de seus acervos. Defende-se a biblioteca como espaço de guarda e conservação das materialidades documentais produzidas no passado, como fontes de informação para uma compreensão aprofundada do presente e o bibliotecário, por sua vez, como guardião do conhecimento. Enfocam-se as tecnologias como recursos auxiliares na recuperação de informações produzidas no passado, sem, contudo, fetichizá-las. Conclui-se que, entre as instituições envolvidas com a preservação da memória, a biblioteca tem papel preponderante na preservação e disseminação do passado – e, portanto, da identidade – de um povo. Acesso ao texto completo (PDF)
Publicado
2007-01-17
Seção
Resumos de artigos científicos