A questão ética na formação do profissional bibliotecário

  • Michel Maia Aranalde
Palavras-chave: Sociedade de informação, Ética, Profissional bibliotecário.

Resumo

O desenvolvimento e a disseminação de novas tecnologias relacionadas à informação causaram imensas transformações sociais, originando o ambiente denominado sociedade de informação. Desse contexto extraem-se elementos que possibilitam uma reflexão ética sobre a exigência de novos modelos mentais e, conseqüentemente, novas práticas. Esses elementos são os imperativos de rapidez e flexibilidade que modificam a maneira como as pessoas vivem. A abordagem busca indicar que as exigências por rapidez e flexibilidade comprometem uma ética tomada sob a perspectiva de formação do caráter e identifica que uma grande influência das novas configurações sociais e dos imperativos analisados recai sob a esfera do trabalho. Nesta esfera, uma das áreas mais afetadas está relacionada à informação, ambiente em que os profissionais bibliotecários atuam. Dessa forma, questionam-se alguns pressupostos da sociedade de informação, tendo em vista o saber-fazer e o porquê fazer do profissional bibliotecário, avaliando sob que aspectos sua atuação está embasada eticamente e o que significa uma ética num contexto de instabilidade em que a dissolução dos valores e a flexibilidade do saber são os padrões fundamentais. As reflexões convergem para o confrontamento entre a definição de ética como formação do caráter e o Código de Ética Profissional do Bibliotecário, concluindo que, no caso de analisar atitudes não condizentes com a dignidade da profissão, seria mais adequado uma Comissão de Ética constituída para avaliar ações que aparentemente não se enquadrem num Código de Conduta Profissional do que um Código de Ética com prescrições para fixar normas de conduta. Acesso ao texto completo (PDF)
Publicado
2006-07-24
Seção
Resumos de artigos científicos