ABORDAGEM COGNITIVA PARA GESTÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NAS ORGANIZAÇÕES

  • Aida Varela Varela Universidade Federal da Bahia
  • Marilene Lobo Abreu Barbosa Universidade Federal da Bahia
  • Maria Giovanna Guedes Farias Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Estudos cognitivos, Gestão estratégica, Gestão organizacional, Sistemas de Informação, Tomada de decisão.

Resumo

A ebulição na conjuntura política, econômica e social subsidia as organizações a investirem em modelos de gestão fortes, dinâmicos e atentos, que lhes permitam monitorar o ambiente externo que a circunda, bem como acompanhar e incrementar o seu ambiente interno. Destarte, objetiva-se analisar o valor dos estudos cognitivos na otimização da gestão estratégica, mediante o fortalecimento de sistemas de informação. Para alcançar este propósito, contrastam-se, inicialmente, conceitos sobre cognição e seus desdobramentos relacionados com os temas – aprendizagem, mediação e desenvolvimento de competências e apresentam-se a Teoria da Modificabilidade Cognitiva Estrutural (TMCE) e a Experiência da Aprendizagem Mediada (EAM) desenvolvidas por meio do Programa de Enriquecimento Instrumental (PEI), criados por Reuven Feuerstein, discípulo de Piaget, com o objetivo de descrever a trajetória pela qual o sujeito chega à solução do problema e propõe o mapa cognitivo como ferramenta de análise do ato mental. Conclui-se que as profissões sofrem alterações profundas, de natureza diversa e complexa, em função destas novas situações, que as levam à interdependência e à competição, demandando reconversões nos princípios, teorias e práticas educacionais, de modo a alinhar os perfis profissionais às demandas sociais e produtivas, que, na atualidade, caracterizam-se pela exigência de profissionais autônomos, reflexivos, flexíveis, criativos, proativos etc.

Biografia do Autor

Aida Varela Varela, Universidade Federal da Bahia
Doutora em Ciência da Informação. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, UFBA.
Marilene Lobo Abreu Barbosa, Universidade Federal da Bahia
Doutora em Ciência da Informação. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, UFBA.
Maria Giovanna Guedes Farias, Universidade Federal do Ceará
Doutora em Ciência da Informação. Docente Departamento de Ciências da Informação, UFC.
Publicado
2015-12-22
Seção
Artigos de Revisão | Review Articles