TRABALHO PRECÁRIO: precariado, vidas precárias e processos de resistências

  • Kelen Christina Leite UFScar

Resumo

O neoliberalismo assume características que ultrapassam a mera política econômica, inserindo-se na sociedade enquanto uma lógica que penetra e se enraíza em todas as relações sociais e em todas as esferas da vida. Tal política econômica vem produzindo, em níveis sempre mais elevados, trabalhos precários, trabalhadores precarizados e, sobretudo, modos de vida pautados pela precariedade. Assim, é objetivo central deste artigo analisar o processo de produção desses modos de vida precários, instituídos pelo neoliberalismo e, ao mesmo tempo, apontar a reação que se ensaia por parte dos precarizados, a exemplo das grandes manifestações ocorridas na Europa, em particular, Portugal, Espanha e Itália, bem como apontar para as possibilidades de organizações que surgem a partir desse contexto. Este artigo é fruto de uma pesquisa maior, ainda em desenvolvimento, iniciada na Università Sapienza di Roma. No tocante aos procedimentos metodológicos, este ensaio é produto de pesquisa bibliográfica e reflexão crítica junto aos pesquisadores da Università Sapienza di Roma.

Publicado
2020-05-13
Como Citar
Leite, K. C. (2020). TRABALHO PRECÁRIO: precariado, vidas precárias e processos de resistências. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 51, 108-125. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.0v51n0.50733