INVISIBILIDADES, INSURGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

“Mulheres Briguentas” no Movimento Sindical do ABC Paulista

Resumo

Neste artigo, apresentamos os resultados parciais de uma pesquisa sobre as trajetórias de vida de mulheres que participaram do ciclo de greves históricas do ABC Paulista. Desse recorte mais amplo, fizemos uma incisão neste texto para trazer, na composição dos casos, as memórias de mulheres que assumiram cargos na estrutura sindical. Na hipótese de que os efeitos das formas de opressão que marcavam as trajetórias ocupacionais das mulheres na indústria metal-mecânica e nas montadoras do parque automotivo dessa região ecoavam nas estruturas sindicais, reproduzindo clivagens de gênero, importa-nos compreender as estratégias de resistência, as formas de engajamento na militância e os efeitos na ação sindical. As memórias deixam entrever o lento processo de reconhecimento das demandas de gênero, a perenidade das tensões relativas a essa clivagem nas estratégias de luta e as disputas discursivas por legitimidade das histórias das mulheres na narrativa sobre as greves do ABC Paulista.

Palavras-chave: Sindicalismo. Greves. Gênero. ABC Paulista.

Biografia do Autor

Deise Recoaro, Universidade de Coimbra/ Doutoranda do programa de Sociologia com ênfase em Relações do Trabalho, Desigualdade Social e Sindicalismo, da Faculdade de Economia

Possui graduação em Ciências Sociais (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade de São Paulo (1998) e especialização em Política e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política (2004). Doutoranda do programa de Sociologia com ênfase em Relações do Trabalho, Desigualdade Social e Sindicalismo, da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra em parceria com o CES - Centro de Estudos Sociais. Lecionou na Faculdade Instituto Paulista de Ensino (2006 a 2011). Assumiu a Secretaria de Formação Sindical (2003-2006), Secretaria de Políticas Sociais (2007-2009) e Secretaria de Mulheres (2012-2015) durante exercício do mandato na Confederação Nacional de Trabalhadores do Ramo Financeiro/CUT. 

Marilda Aparecida de Menezes, Universidade Federal do ABC/ Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas e sociais

Professora Visitante Senior, UFABC, a partir de janeiro de 2017. Professora Visitante Nacional Senior (CAPES/PVNS) da Universidade Federal do ABC, 2012-2016. Pesquisadora do CNPq, nivel 1C. Professora aposentada da Universidade Federal de Campina Grande. Fui Pesquisadora do Centro de Estudos Migratórios, professora da Universidade Estadual da Paraíba e da Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Sociologia Rural pela Universidade Federal da Paraíba (1985), PhD pela University of Manchester (1997), Pós-Doutorado na Yale University (2004-5) no Agrarian Studies Programme e no Depto. de Antropologia da UNICAMP (2011).

Sidney Jard da Silva, Universidade Federal do ABC/ Professor do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS/UFABC)

Professor do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do ABC (CECS/UFABC). Doutor e mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), com doutorado sanduíche no Departamento de Ciência Política do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e pós-doutorado no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES/UC). Bacharel em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH/USP) e licenciado pela Faculdade de Educação (FE/USP). Coordenador do grupo de pesquisa Política, Políticas Públicas e Ação Coletiva (3 PAC/CNPq)

Jaime Santos Júnior, Universidade Federal do Paraná / Docente do Departamento de Sociologia

Doutor em Sociologia (FFLCH/USP), Docente do Departamento de Sociologia da Universidade Federal do Paraná.

Publicado
2020-10-08
Como Citar
Recoaro, D., de Menezes, M. A., Jard da Silva, S., & Santos Júnior, J. (2020). INVISIBILIDADES, INSURGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(52), 87-105. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2020v1n52.51528