O CAMINHO DO VIEJO REALES

  • Silvia Beatriz Adoue UNESP

Resumo

Este artigo trata da representação cinematográfica da vida e lutas dos trabalhadores da cana-de-açúcar em Tucumán, Argentina, durante as décadas de 1960 e 1970. O objeto deste trabalho é o filme El camino hacia la muerte del Viejo Reales (1974), do cineasta tucumano Gerardo Vallejo, membro do grupo Cine Liberación. O encontro entre as lutas e o cinema como instância de reflexão e intervenção dos militantes sindicais e políticos dos canaviais naquele período histórico nos remete às possibilidades do cinema, mas também dos trabalhadores pensando a própria ação. O filme em questão é, na sua primeira parte, um trabalho de testemunho da família Reales sobre sua vida, com participação da família na encenação de situações que a simples entrevista não permitiria. A família aceita, inclusive, incluir elementos de ficção, cuja condição não é escamoteada do receptor. Isso facilita a passagem da história singular à história dos trabalhadores canavieiros tucumanos. Na segunda parte, traça um panorama histórico de Tucumán e a indústria açucareira, assim como da construção da Federación Obrera Tucumana de la Industria del Azúcar (FOTIA) através das suas lutas, pela voz dos seus próprios militantes. Ao organizar desta maneira o material fílmico, a montagem constrói um sentido e o coloca a serviço da organização dos trabalhadores, seja para a autorreflexão, seja como material da formação dos seus. 

 

Palavras-chave: Trabalhadores canavieiros. Tucumán-Argentina. Cinema político. Documentário.  

Publicado
2020-10-08
Como Citar
Adoue, S. B. (2020). O CAMINHO DO VIEJO REALES . REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(52), 106-121. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2020v1n52.53466