REPRODUÇÃO, HABITUS, CAMPO

como Bourdieu pensa o trabalho?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2021v1n54.60155

Resumo

Embora seja o intelectual mais citado na Sociologia mundial, o pensamento de Bourdieu sobre o mundo do trabalho permanece, em grande medida, ignorado. Isso se deve à crença amplamente difundida de que o sociólogo francês, ao longo de sua carreira, nada disse para lançar luz sobre esse campo, e a críticas que se restringiram, frequentemente, a apontar os limites e a inadequação do seu conceito de dominação para a análise das relações sociais de produção. A partir de uma leitura abrangente de sua obra, este artigo demonstra como Bourdieu aplica seus principais conceitos – reprodução, habitus e campo – a diferentes espaços do trabalho. Além disso, sua Sociologia conduz a dois resultados: de um lado, permite-nos pensar sobre as subjetividades no trabalho, por meio de uma Sociologia voltada às dinâmicas de longo prazo, articuladas a instituições sociais como a escola e o Estado; de outro, renova a compreensão das relações sociais no trabalho com a análise das lutas simbólicas que envolvem a definição e a legitimidade de cargos e profissões. Mais do que um sociólogo do trabalho, Bourdieu é, acima de tudo, um sociólogo dos trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Quijoux, M., & Rombaldi (tradutor), M. . (2021). REPRODUÇÃO, HABITUS, CAMPO: como Bourdieu pensa o trabalho? . REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA &Amp; TRABALHO, 1(54), 220–236. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2021v1n54.60155