COMPREENSÃO TEXTUAL E DEFICIÊNCIA VISUAL: UM OLHAR PARA O ENSINO DE LEITURA EM LÍNGUA INGLESA A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA INCLUSIVA

  • José Eric da Paixão Marinho Universidade Federal da Paraíba
  • Angélica Araújo de Melo Maia UFPB

Resumo

Com os avanços da legislação e das práticas pedagógicas que ocorreram nas últimas décadas, fica evidente que a temática da educação inclusiva tem chamado a atenção de muitos professores e pesquisadores. Partindo do ensino de língua inglesa, que é o foco desse artigo, observa-se que todos os alunos, com ou sem deficiência, utilizam-se de uma série de estratégias durante o processo de ensino a qual se submetem. Desta maneira, levando em consideração as estratégias de aprendizagem (MALTA, 2009; OXFORD, 2003) mobilizadas pelos/para alunos com deficiência visual, investigamos como ocorre o desenvolvimento da capacidade de compreensão textual, em língua inglesa, por parte desses alunos em contexto de instituição especializada. Buscando mapear essas estratégias, foram analisadas as respostas dadas por três alunos da turma pesquisada a um questionário, produzido pelo pesquisador, a respeito de aspectos relativos às aulas a seus cotidianos, a fim de entender que elementos eles consideram mais favoráveis ao desenvolvimento de sua capacidade de compreensão textual em língua estrangeira. A geração dos dados ocorreu no Instituto dos Cegos da Paraíba Adalgisa Cunha, instituição especializada no atendimento de pessoas com deficiência visual, localizada na cidade de João Pessoa – PB. Os resultados alcançados através da análise do questionário apontam que a estratégia de aprendizagem mais utilizada pelos participantes da pesquisa durante o processo de compreensão textual é a compensatória, através da qual esses alunos buscam superar suas dificuldades.

Biografia do Autor

Angélica Araújo de Melo Maia, UFPB
Professora de Linguística do DLEM.
Publicado
2019-02-18
Seção
Artigos