A LEITURA DA LITERATURA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: uma potente linguagem para ressignificação das práticas escolares

Cláudia Beatriz de Castro Nascimento Ometto, Ana Lúcia Guedes-Pinto

Resumo


Considerando que a experiência com a leitura literária na formação de professores é constitutiva das
práticas por ela assumidas na mediação da formação do leitor literário na escola de educação básica,
investigamos os aprendizados – das professoras e das pesquisadoras – acerca dessa prática de leitura no contexto
de três cursos distintos de formação continuada: 1. no Pró-Letramento; 2. no PNAIC; 3. em um projeto de formação de professores responsáveis por Salas de Leitura das escolas da rede estadual de São Paulo. Os dados foram produzidos no período de 2006 a 2016 nos contextos das formações. A geração de dados se constitui a partir de vários registros: entrevistas realizadas com professoras que participaram de formação; audiogravação de
uma parte dos encontros realizados e também foram utilizados diários de campo das pesquisadoras. Os enunciados selecionados para esse artigo foram analisados a partir dos princípios metodológicos da análise enunciativa de Bakhtin (2002) e evidenciaram movimentos de elaboração sobre a prática de leitura literária. Depreende-se do estudo que a leitura de literatura pode ser uma potente linguagem para ressignificação das práticas docentes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-9979.2018v13n2.44531

Licença Creative Commons   



O trabalho da Revista Eletrônica da UFPB Prolíngua foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil