Abordagens recentes das ciências sociais sobre a desigualdade de gênero: avanços e permanências

Autores

Resumo

As práticas sociais femininas vêm se alterando nas últimas décadas. Novas formas de agir, pensar e participar de movimentos sociais têm dado às mulheres mais visibilidade. Se por um lado avanços foram obtidos, a desigualdade de gênero ainda é latente e facilmente identificada em diversas esferas da vida social. A proposta desse artigo é promover uma revisão da literatura sobre a categoria analítica de gênero tendo por base essa nova realidade. Busca-se compreender como as ciências sociais vêm tratando essas novas dinâmicas, em especial, as leituras que direcionem as análises das relações sociais de gênero para as relações de poder, expressas assimetricamente nos diversos espaços nos quais as mulheres estão inseridas. Espera-se contribuir para o debate feminista, sobretudo no que concerne às mais recentes formas de análise sobre a desigualdade de gênero.

Referências

BANCO MUNDIAL. Igualdade de gênero e desenvolvimento. Disponível em < http://siteresources.worldbank.org/INTWDR2012/Resources/7778105-1299699968583/7786210-1315936231894/Overview-Portuguese.pdf> Acesso em 17/02/2016.

BARRAGÓN, Margarita; LANG, Miriam; CHÁVEZ, Dunia M.; SANTINALA, Alejandra. Pensar a partir do feminismo: críticas e alternativas ao desenvolvimento. In: DILGER, Gerhard; LANG, Miriam; PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.). Descolonizar o imaginário: Debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa de Luxemburgo, 2016

BARROSO, Carmen. Metas de desenvolvimento do milênio, educação e igualdade de gênero. Cad. Pesqui. [online], vol.34, n.123, 2004, pp.573-582.

BONI, Valdete. Poder e igualdade: as relações de gênero entre sindicalistas rurais de Chapecó, Santa Catarina. Rev. Estud. Fem. [online], vol.12, n.1, 2004, pp.289-302.

CYFER, Ingrid. Liberalismo e feminismo: igualdade de gênero em Carole Pateman e Martha Nussbaum. Rev. Sociol. Polit. [online], vol.18, n.36, 2010, pp.135-146.

DEERE, Carmem Diana e LEON, Magdalena. Diferenças de gênero em relação a bens: a propriedade fundiária na América Latina. Sociologias [online], n.10, 2003, pp.100-153.

FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. Entre marido e mulher, o estado mete a colher: reconfigurando a divisão do trabalho doméstico na Suécia. Rev. bras. Ci. Soc. [online], vol.17, n.48, 2002, pp.173-196.

GOMEZ URRUTIA, Verónica Edith. Divórcio à la chilena: familia, gênero e cidadania no Chile, 1990-2004. Rev. Sociol. Polit. [online], vol.20, n.44, 2012, pp.177-195.

JARAMILLO RUIZ, Felipe. Democracy, parity and change. An institutional space for gender relations. Civilizar [online], vol.13, n.25, 2013, pp.67-84.

LABRECQUE, Marie France. 2010. Transversalização da perspectiva de gênero ou instrumentalização das mulheres?. Rev. Estud. Fem. [online], vol.18, n.3, 2010, pp.901-912.

LEITE, Marcia de Paula e SOUZA, Silvana Maria de. Igualdade de gênero e raça no Brasil: uma discussão sobre a política pública de emprego. Dados [online], vol.53, n.1, 2010, pp.195-232.

MACHADO, Lia Zanotta. Feminismos brasileiros nas relações com o Estado. Con-textos e incertezas. Cad. Pagu [online], n.47. Epub 22-Jul-2016.

MONTEIRO, Rosa Filomena Brás Lopes. Desafios e tendências das políticas de igualdade de mulheres e homens em Portugal. Rev. Estud. Fem. [online], vol.21, n.2, 2013, pp.535-552.

ONU. The Millennium Development Goals Report, 2015.

PEREIRA, Rosângela S. Abordagem teórica sobre a questão de gênero e desenvol-vimento rural: dos projetos assistenciais ao planejamento de gênero. In: STADUTO, J.A.R.; SOUZA, M.; NASCIMENTO, C.A. (orgs.). Desenvolvimento Rural e Gênero: abordagens analíticas, estratégias e políticas públicas. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2015, pp. 17-41.

RIMISP. Poverty and inequality: latin american report 2015. Disponível em <http://reliefweb.int/sites/reliefweb.int/files/resources/Sintesis-Rimisp-Ing-2015-V4-Completo.pdf>, acesso em 15/03/2016.

ROSEMBERG, Fúlvia. Políticas educacionais e gênero: um balanço dos anos 1990. Cad. Pagu[online], n.16, 2001, pp.151-197.

SABINO, Maria Jordana Costa e LIMA, Patrícia Verônica Pinheiro Sales. Igualdade de gênero no exercício do poder. Rev. Estud. Fem. [online], vol.23, n.3, 2015, pp.713-734.

SANTOS, Yumi Garcia dos. A implementação dos órgãos governamentais de gênero no Brasil e o papel do movimento feminista: o caso do Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo. Cad. Pagu [online], n.27, 2006, pp.401-426.

SILVA, Júlio César Casarin Barroso. Liberdade de expressão, pornografia e igualdade de gênero.Rev. Estud. Fem. [online], vol.21, n.1, 2013, pp.143-165.

SIMIAO, Daniel Schroeter. Representando corpo e violência: a invenção da "violência doméstica" em Timor-Leste. Rev. bras. Ci. Soc. [online], vol.21, n.61,2006, pp.133-145.

SIQUEIRA, Vera Helena Ferraz de e ROCHA, Glória Walkyria de Fátima. A construção de diferenças de gênero entre estudantes de medicina. Cad. Pagu [online], n.30, 2008, pp.231-268.

SORJ, Bila. Igualdade de gênero e políticas macroeconómicas. Rev. Estud. Fem. [online], vol.24, n.2, 2016, pp.617-620.

VAN DER SCHAAF, Alie. Jeito de mulher rural: a busca de direitos sociais e da igualdade de gênero no Rio Grande do Sul. Sociologias [online], n.10, 2003, pp.412-442.

Downloads

Publicado

2019-08-14