PROBLEMAS MUSCULOESQUELÉTICOS EM DOCENTES E SERVIDORES DE UM CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL/BRASIL

Autores

  • Marcelo Cozzensa SILVA Universidade Federal de Pelotas Programa de Pós Graduação em Educação Física – Universidade Federal de Pelotas GEEAF – Grupo de estudos em Epidemiologia da Atividade Física
  • Maicon Silveira FONSECA Universidade Federal de Pelotas
  • Rodrigo Kohn CARDOSO Programa de Pós Graduação em Educação Física – Universidade Federal de Pelotas
  • Christine Vieira SPIEKER Programa de Pós Graduação em Educação Física – Universidade Federal de Pelotas

Resumo

Objetivo: Verificar a prevalência de problemas musculoesqueléticos em professores e servidores de uma instituição de ensino superior da cidade de Pelotas/RS. Material e Métodos: Utilizou-se o Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares para determinar o local e foi questionada a presença de dor no último ano e na última semana. Resultados: No último ano, as regiões mais afetadas foram os joelhos (54,6%), pescoço (48,5%), coluna lombar (42,4%) e ombros (33,3%). Com relação à última semana, as maiores frequências de dor foram na coluna lombar (21,2%), as coxas e pescoço (18,2%) e joelhos (15,2%). Conclusão: Os docentes e os servidores de um curso superior de Educação Física apresentam alta frequência de problemas musculoesqueléticos, independente da região anatômica avaliada. Os valores encontrados são preocupantes, visto o caráter incapacitante da dor e as consequências para a saúde dos indivíduos. DESCRITORES Docentes. Trabalhadores. Dor Musculoesquelética. Epidemiologia

Downloads

Publicado

2015-03-23

Como Citar

SILVA, M. C., FONSECA, M. S., CARDOSO, R. K., & SPIEKER, C. V. (2015). PROBLEMAS MUSCULOESQUELÉTICOS EM DOCENTES E SERVIDORES DE UM CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL/BRASIL. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 18(2), 115–120. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/14178

Edição

Seção

Pesquisa