Impacto da Divulgação Obrigatória da DVA: Evidência em Indicadores Financeiros

  • Ismael Alencar Fiuza de Oliveira Universidade Federal do Ceará
  • Antônio Carlos Dias Coelho Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Evidenciação Contábil Obrigatória, Qualidade Informacional, Demonstração do Valor Adicionado

Resumo

No contexto da discussão sobre a evidenciação de informações contábeis de ser tratada de forma voluntária ou obrigatória, um dos argumentos favoráveis à obrigatoriedade consiste no caráter menos verificável da informação voluntária, em razão de não ser submetida a procedimentos de confirmação mais rigorosos, estando sujeita a vieses e a depender do julgamento de seus investidores. De outra parte, argumentos contrariam tal visão, no sentido de que incentivos econômicos e informacionais seriam suficientes para divulgar informações contábeis de forma eficiente. Neste sentido, a pesquisa investigou em que medida a obrigatoriedade de divulgação da DVA, instituída pela Lei nº 11.638/07, pode ter impactado a propriedade informacional de indicadores financeiros de análise da geração e da distribuição do valor adicionado. A amostra da pesquisa foi composta por 81 companhias listadas na BM&FBOVESPA, que divulgavam a DVA voluntariamente antes do advento da nova legislação contábil. O estudo envolveu os períodos de 2005 a 2007, antes da obrigatoriedade, e 2008 a 2012, após a obrigatoriedade de divulgação. Os dados foram obtidos no sítio da BM&FBOVESPA e foram submetidos a testes paramétricos e não paramétricos de diferença entre médias e a análise por regressão logística. Os resultados apontaram haver mudanças estatisticamente significantes em apenas dois dos indicadores analisados que relacionam geração de valor adicionado e receita e que mostram a parcela do valor adicionado destinada a acionistas. Pode-se inferir, assim, que o processo regulatório adotado na contabilidade brasileira não afetou de forma generalizada os números divulgados pela DVA.

Biografia do Autor

Ismael Alencar Fiuza de Oliveira, Universidade Federal do Ceará
Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará.
Antônio Carlos Dias Coelho, Universidade Federal do Ceará
Possui Graduação em História pela Universidade Estadual do Ceará (1976), Mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1981) e Doutorado em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (2007). Concluiu Programa de Pós-Doutorado em Contabilidade na FEA-USP (2008), com pesquisa sobre o tema 'Qualidade Informacional da Contabilidade. Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal do Ceará/Programa de Pós-Graduação em Administração e Contabilidade (PPAC). Atualmente é Pesquisador do CNPq - Nível 2 (2014/2017).
Publicado
2014-11-28
Seção
Seção Nacional