Previsão de Reservas para Seguradoras do Mercado Brasileiro

  • Anna Cecília Chaves Gomes Doutoranda em Administração (linha de finanças - UFRN) Professora de Finanças (IFPB)
  • Antônio Hermes Marques da Silva Júnior UFRN
  • Moises Alberto Calle Aguirre UFRN
Palavras-chave: Previsão de Reservas, Chain Ladder, Seguradoras

Resumo

O objetivo da pesquisa é aplicar o modelo Chain Ladder para prever as reservas das companhias de seguros mais relevantes do mercado brasileiro. As empresas escolhidas foram a Bradesco, Porto Seguro, Itaú, Allianz e Banco do Brasil-Mapfre, estas tendo sido selecionadas de acordo com a classificação do Sindicato dos Corretores de Seguros e Resseguros no Estado de São Paulo (SINCOR-SP). O critério geral envolve empresas com negócios em veículos, imóveis, vida, finanças, transportes, saúde e outros tipos de seguro. A adequação do modelo Chain Ladder de Mack foi testada de acordo com os critérios de análise gráfica de resíduos para cada companhia de seguros. As projeções apresentaram erros padrões inicialmente baixos, contudo, crescentes com o passar dos anos e com diminuição gradual do volume de dados. A empresa com menor erro padrão de previsão seria a Bradesco, contudo, seus resultados não foram confiáveis, pois apresentou forte falha no pressuposto de independência dos resíduos, podendo inviabilizar o uso do modelo para o presente caso. Nas demais empresas algumas leves tendências nos resíduos foram observadas. A única empresa que não apresentou nenhum indicativo de falha de pressuposto foi a Allianz. Demonstra-se então que o Chain Ladder pode ser utilizado para previsão de reservas de seguradoras brasileiras, contudo, que os pressupostos devem ser avaliados caso-a-caso. No que tange às limitações, limita-se, pois, sugere correções para falhas de pressupostos sem realizá-las e apresenta um curto lapso temporal, de forma que se recomende, para trabalhos futuros, que tais questões sejam sanadas, assim como que seja realizada uma comparação entre os diversos métodos de previsão de reservas.

Biografia do Autor

Anna Cecília Chaves Gomes, Doutoranda em Administração (linha de finanças - UFRN) Professora de Finanças (IFPB)

Formada em Administração e Ciências Atuariais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atualmente cursa o doutorado em Gestão Organizacional pela UFRN. Concluiu a especialização em Administração Financeira (FARN) e o mestrado em Administração (UFRN). Atuou ainda como professora do departamento de estatística e atualmente leciona no Instituto Federal de Educação Tecnológica da Paraíba (IFPB). Atua nas bases de pesquisa "Grupo de Estudos: Psicologia e Saúde", "Grupo de Estudos e Pesquisas em Gestão Institucional e Políticas Públicas", "Finanças" e lidera a base "Gestão, organizações e operações". Interessada principalmente na área acadêmica focada em métodos quantitativos, finanças, atuária educação e saúde.

Antônio Hermes Marques da Silva Júnior, UFRN

Possui graduação em Ciências Atuariais pela Universidade Federal do Ceará (2007) e mestrado em Matemática Aplicada e Estatistica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009). Atualmente é Professor Assistente II da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Ciências Atuariais e Probabilidade e Estatística, com ênfase em Modelos Lineares Generalizados, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria do Risco, Teoria Assintótica e Modelos de Regressão.

Moises Alberto Calle Aguirre, UFRN

Pós-doutor pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Doutor em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestre em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais e Graduação em Sociologia pela Universidad Mayor de San Andres. Pesquisador e Professor Adjunto III do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais, Vice Coordenador do Curso de Ciências Atuariais. Linhas de pesquisa: demografia da educação, demografia da família, demografia e nutrição, fecundidade, gênero e saúde reprodutiva

Publicado
2016-08-24
Como Citar
Gomes, A. C. C., Silva Júnior, A. H. M. da, & Aguirre, M. A. C. (2016). Previsão de Reservas para Seguradoras do Mercado Brasileiro. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 4(2), 19-39. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/recfin/article/view/26826
Seção
Seção Nacional