FEMINIZANDO CHEFIAS? UMA ANÁLISE DA DINÂMICA DA DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO NO SETOR DE TI

  • Bárbara Castro

Resumo

Este trabalho apresenta o desenho da divisão sexual do trabalho na área de Tecnologia da Informação (TI) no Brasil, a partir de um estudo empírico realizado nas cidades de São Paulo e Campinas (SP). As mulheres se concentram nas funções denominadas como softs (analistas de sistemas, líderes e gerentes de equipes), enquanto os homens se concentram nas chamadas funções hards (programação, bancos de dados, redes). Tal desenho deriva da naturalização da relação estabelecida socialmente entre uma ideia fixa de masculinidade e de tecnologia. Proponho uma reflexão sobre a naturalização do trabalho emocional contido no relacionamento cliente-empresas-equipe organizado nas funções softs e em sua consequente feminização. O artigo busca contribuir para a compreensão do movimento contraditório que a reprodução das relações de gênero opera na esfera do trabalho. Pois, ao mesmo tempo em que as mulheres estão concentradas em funções que se distanciam da ideia hard de TI, a ideia de que elas desempenham melhor as tarefas de comunicação e resolução de conflito as possibilita ingressar em cargos de chefia.

Publicado
2018-08-01
Seção
Dossiê: Trabalho no Brasil e na França.