PARTICIPAÇÃO SINDICAL E CRITÉRIOS DE JUSTIÇA DISTRIBUTIVA DENTRE OS TRABALHADORES DO COMÉRCIO FORMAL

Tiago Magaldi

Resumo


O objeto deste trabalho são os critérios de justiça distributiva adotados por trabalhadores do comércio formal que formam a base do Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro (SEC-RJ). Seu objetivo é compreender como esta dimensão é influenciada, de um lado, pela participação sindical e, de outro, pela atividade específica de comércio na qual estavam envolvidos os trabalhadores. Utilizando-se de marcos teóricos recentes que abordam a questão dos critérios de justiça distributiva e da percepção de desigualdades sociais, a pesquisa mostra uma profunda semelhança nas categorias utilizadas por sindicalistas e não sindicalistas, embora haja maior sentimento de injustiça dentre os primeiros. Também dentre trabalhadores de diferentes ramos do comércio há um consenso geral. A visão de mundo do conjunto do grupo pesquisado se assenta sobre a imagem do indivíduo capaz, base de uma meritocracia que se sobrepõe à percepção da dinâmica de interesses estruturais, também presente, mas mitigada.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Marilis Lemos de. Comércio: perfil, reestruturação e tendências. Educação & Sociedade, ano XVIII, nº61, 1997.

BOURDIEU, Pierre. Espaço social e génese das “classes”. In:__________. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 2009.

BOITO JR, Armando. O sindicalismo de Estado no Brasil: uma análise crítica da estrutura sindical. São Paulo: HUCITEC, 1991.

CARDOSO, Adalberto M. Desigualdade, injustiça e legitimidade: uma investigação empírica sobre aspectos da sociabilidade brasileira. In: SCALON, Celi. Imagens da desigualdade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004. Pp. 115-176.

__________. A construção da sociedade do trabalho no Brasil: uma investigação sobre a persistência secular das desigualdades. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

DUBET, François. Injustiças: a experiência das desigualdades no trabalho. Florianópolis: Editora UFSC, 2014.

FRANÇA JÚNIOR, Luzimar Barreto de. Trabalho e reestruturação na rede Carregour: uma análise crítica. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual Paulista – UNESP. Marília, 2010.

GONÇALVES, Ida Lenir Maria Pena. “A gente tem uma vida lá fora...”: Relações entre gestão de Recursos Humanos e sociabilidade das pessoas empregadas nos supermercados da Região Metropolitana de Belém. Tese de Doutorado. Universidade Federal Do Pará, Belém, 2009.

HIRSCHMAN, Albert O. Mudanças na tolerância com a desigualdade de renda no curso do desenvolvimento econômico. In: Estudos Cebrap, n. 13, p. 29-54.

MAGALDI, Tiago. Comerciários, sindicato e desigualdades sociais: contribuição para uma sociologia do sentimento de justiça. Dissertação de mestrado. Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2017.

MARX, Karl. Crítica ao programa de Gotha. São Paulo: Boitempo, 2012.

MILLER, David. Distributive justice: what the people think. In: Ethics, vol. 102, nº3, pp. 555-593. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

O GLOBO. Morre o presidente do Sindicato dos Empregados do Comércio do Rio. Rio de Janeiro, 12 de out. de 2006. Disponível em https://oglobo.globo.com/rio/morre-presidente-do-sindicato-dos-empregados-do-comercio-do-rio-4556592. Acesso em 25/01/2019.

O DIA. Invasão ao Sindicato dos Comerciários acirra acusações de chapas. Rio de Janeiro, 18 de jun. de 2015a. Disponível em http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-06-18/invasao-ao-sindicato-dos-comerciarios-acirra-acusacoes-de-chapas.html. Acesso em 25/01/2019.

O DIA. Chapa ligada à CTB vence a eleição do Sindicato dos Comerciários. Rio de Janeiro, 19 de jun. de 2015b. Disponível em https://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-06-19/chapa-ligada-a-ctb-vence-eleicao-do-sindicato-dos-comerciarios.html. Acesso em 25/01/2019.

PAIVA, Vanilda; POTENGY, Gisélia; e CHINELLI, Fillippina. Qualificação e inserção alternativa no mundo do trabalho: a sociologia para além da indústria. Revista Novos Estudos CEBRAP, nº 48, 1997.

RUNCIMAN, Walter Garrison. Relative deprivation and social justice: a study of atitudes to social inequality in twentieth-century England. Berkeley: University of California Press, 1972.

SANTOS, Wanderley G. Horizonte do desejo: instabilidade, fracasso coletivo e inércia social. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

SOUZA, Jessé. Os batalhadores brasileiros: nova classe média ou nova classe trabalhadora? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

TRÓPIA, Patrícia Vieira. Classe média, situação de trabalho e comportamento sindical: o caso dos comerciários de São Paulo. Dissertação de mestrado – Instituto de Filosofia e

Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1994.

WRIGHT, Erik Olin. Understanding Class. Londres: New Left Books, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1676-4439.2019v18n1.44133

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este periódico está indexado nas bases: