Características anatomofisiológicas de adaptação de bovinos leiteiros ao ambiente tropical

  • Antônio da Costa Pinheiro
  • Edilson Paes Saraiva
  • Carla Aparecida Soares Saraiva
  • Vinícius de França Carvalho Fonseca
  • Maria Elivânia Vieira Almeida
  • Severino Guilherme Gonçalves Caetano dos Santos
  • Mikael Leal Cabral Menezes de Amorim
  • Pedro José Rodrigues Neto

Resumo

A interferência de fatores ambientais (temperatura do ar, umidade relativa do ar e radiação solar) é uma das principais causas que tem limitado a produção de bovinos em ambientes de clima tropical. Por serem considerados animais homeotérmicos, os bovinos conseguem dentro de certos limites, ajustar o seu ritmo biológico diário através de reações fisiológicas e comportamentais como respostas as intempéries ambientais ao qual são submetidos. Quando são inseridos em ambientes com temperaturas acima da sua faixa de termoneutralidade, a maioria das fontes geradoras de calor interno são diminuídas, havendo o envolvimento de mecanismos sensíveis e latentes de dissipação de calor, além de alterações físicas, fisiológicos e comportamentais como forma de neutralizar os efeitos negativos do estresse por calor e manter o equilíbrio térmico. No geral, as raças bovinas selecionadas para maior produção, são originárias de países de clima temperado, o que não permite a estas expressarem o máximo da sua capacidade produtiva em ambientes de clima tropical. No entanto, muitos produtores têm se utilizado de sistemas de cruzamentos entre raças europeias e zebuínas com o intuito de melhorar a produção de leite e a eficiência reprodutiva e adaptativa em ambientes tropicais. Assim, torna-se necessário maior conhecimento dos fatores ambientais que influenciam a produção animal, da capacidade de adaptação das raças, bem como das características anatomofisiológicas de termorregulação de bovinos em condições de clima tropical.
Publicado
2015-11-03
Seção
Artigo Científico