Desenvolvimento de Cattleya loddigesii Lindley in vitro com doses de silicato de potássio

  • Guilherme Augusto Cito Alves Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
  • Fernanda Rosa Campos Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
  • Douglas Junior Bertoncelli Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
  • Felipe Favoretto Furlan Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
  • Gustavo Henrique Freiria Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
  • Ricardo Tadeu de Faria Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.

Resumo

As orquídeas destacam-se como importante planta ornamental e apresentam interesse do homem pelo seu estudo e seu cultivo. Cattleya loddigesii é uma espécie de orquídea de destaque, de fácil cultivo e adaptação a maioria do território brasileiro. Os meios nutritivos fornecem as substâncias essenciais para o seu crescimento e desenvolvimento in vitro e constitui excelente alternativa a ser empregada para um grande número de plantas. O meio MS vem sendo utilizado com algumas modificações e ao longo dos anos continua se estudando modificações a formula inicial. O silício tem demonstrado efeito benéfico sobre o aumento de produção de diversas culturas. Assim, objetivou-se avaliar o desenvolvimento de Cattleya loddigesii Lindley in vitro sobe doses de silicato de potássio. Utilizou-se o produto comercial SIFOL®, sendo os tratamentos constituídos de cinco doses como segue: 0,0; 0,5; 1,0; 1,5 e 2,0 mg L-¹ de silicato de potássio acrescidos ao meio de cultura MS. Aos 200 dias, foram avaliadas: número de folhas, número de brotos, altura da parte aérea, massa fresca da parte aérea, massa seca da parte aérea, teor de água da parte aérea, comprimento médio do sistema radicular, massa fresca de raízes, massa seca de raízes, teor de água das raízes e área foliar. O delineamento foi o inteiramente casualizado com doze repetições. Os resultados foram submetidos a análise de variância e regressão linear a 5% de significância. A utilização de 1 mgL-1 de silicato de potássio proporcionou maior número de folhas e maior numero de brotos em Cattleya loddige.

Biografia do Autor

Guilherme Augusto Cito Alves, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Mestrado em agronomia pela Universidade de Estadual de Londrina, sub-área de fitotecnia.
Fernanda Rosa Campos, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Agrônoma pela Universidade Estadual de Londrina.
Douglas Junior Bertoncelli, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Doutorando em Agronomia pela Universidade Estadual de Londrina, sub-área de fitotecnia.
Felipe Favoretto Furlan, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Mestrado em agronomia pela Universidade de Estadual de Londrina, sub-área de fitotecnia.
Gustavo Henrique Freiria, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Mestrado em agronomia pela Universidade de Estadual de Londrina, sub-área de fitotecnia.
Ricardo Tadeu de Faria, Universidade Estadual de Londrina, PR-Brasil.
Professor doutor do Departamento de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina, PR- Brasil.
Publicado
2016-12-12
Seção
Artigo Científico