Controle biológico de insetos-pragas e suas perspectivas para o futuro

  • Aldeni Barbosa da Silva Instituto Federal da Paraíba (IFPB), Campus Esperança
  • Janaina Moreira de Brito

Resumo

Com o aumento da produção agrícola brasileira para atender à crescente demanda por alimentos, notou-se ao longo dos anos um aumento significativo no número de pragas, deixando os agricultores na dependência muitas vezes do controle químico, o que pode trazer diversas consequências ao meio ambiente e a saúde humana, e nem sempre proporcionando resultados de controle satisfatórios. Com o aumento dos danos e o surgimento de populações de insetos-praga resistentes a diversos defensivos agrícolas, os produtores voltaram-se para os métodos alternativos de controle que, se utilizados corretamente, podem manter a população da praga em níveis aceitáveis. Dentre estes métodos destaca-se o controle biológico, que pode ser adotado dentro de um contexto de Manejo Integrado de Pragas (MIP), consistindo na regulação de populações de organismos vivos resultante de interações antagonísticas como parasitismo, predação e competição. Diante disso, este trabalho teve o objetivo de fazer uma abordagem geral sobre os conhecimentos básicos do controle biológico, visando perspectivas promissoras para o futuro.
Publicado
2015-10-26
Seção
Artigo Científico