Avaliação de inseticidas para o controle de tripes <i>Frankliniella</i> spp. em roseira

  • Winnie Cezario Fernandes Universidade Federal da Grande Dourados
  • Ruan Carlos de Mesquita Oliveira Universidade Federal do Ceará
  • Patrik Luiz Pastori Universidade Federal do Ceará
  • Fabrício Fagundes Pereira Universidade Federal da Grande Dourados
  • Maurício Sekiguchi de Godoy Universidade Federal Rural do Semi-Árido

Resumo

O controle químico de Frankliniella spp. em roseiras é a forma mais usual de controle utilizada pelos produtores de plantas ornamentais. Para avaliar a ação inseticida de possíveis produtos fitossanitários para o controle de tripes em roseiras, foi conduzido o experimento, em campo, no município de São Benedito, Ceará, Brasil. Para o controle de Frankliniella spp. foram testados os inseticidas: óleo de neem emulsionado (azadiractina), espinosade, piriproxifem e xileno, tiametoxam e lambda-cialotrina, lufenurom, imidacloroprido e beta-ciflutrina, buprofezina, clorfenapir, cloridrato de formetanato e testemunha (água). As avaliações foram realizadas 24, 48 e 72 horas após a aplicação dos tratamentos, por meio da contagem direta de ninfas e adultos em 30 botões florais (15 botões analisados direto no campo e 15 individualizados em copos plásticos de 300 mL e analisados em ambiente controlado) por tratamento. De maneira geral, os produtos fitossanitários estudados causaram mortalidade nas dosagens utilizadas em condições extremas, ou seja, no interior dos botões florais fechados, permitindo ampliar as alternativas (quando oficialmente registrados) para o controle de Frankliniella spp.

Biografia do Autor

Winnie Cezario Fernandes, Universidade Federal da Grande Dourados
Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Mestre em Agronomia/Fitotecnia com ênfase em Entomologia Agrícola pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente cursa o Doutorado em Entomologia e Conservação da Biodiversidade na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Tem experiência na área Agronômica, em Fitotecnia/Entomologia, trabalhando principalmente com as seguintes áreas: Manejo Integrado de Pragas, Acarologia Agrícola, Plantas Inseticidas e Controle de Artrópodes-praga
Ruan Carlos de Mesquita Oliveira, Universidade Federal do Ceará
Eng. Agrônomo formado pela Universidade Federal do Ceará (2013), Especialista em Proteção pela Universidade Federal de Viçosa (2015) e atualmente mestrando em Fitotecnia (Entomologia) pela Universidade Federal Ceará, localizado no Departamento de Fitossanidade. Possui experiência com controle químico de pragas e doenças, controle biológico de pragas e manejo de plantas ornamentais.
Patrik Luiz Pastori, Universidade Federal do Ceará
Engenheiro Agronômo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) - 2004, Mestre (Magister Scientiae) em Ciências Biológicas (Entomologia) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) - 2007 [dissertação desenvolvida em parceria com a Embrapa Uva e Vinho (CNPUV)] e Doutor (Doctor Scientiae) em Fitotecnia (Entomologia) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) - 2010. É Professor Adjunto III na Universidade Federal do Ceará (UFC) - Campus do Pici em Fortaleza (CE) ministrando aulas de Entomologia Agrícola na Graduação em Agronomia e Controle Biológico, Controle Químico de Artrópodes-praga e Resistência de Artrópodes-praga a Técnicas/táticas de Controle no Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia (PPGAF) da UFC. Exerce o cargo de vice-coordenador do PPGAF da UFC (Jan./2014 à Dez./2015). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitotecnia/ Entomologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Entomologia Agrícola; Manejo Integrado de Pragas; Controle Biológico; Controle por Comportamento (Feromônios) e Controle Químico. Nome Fabrício Fagundes Pereira Correio Instituição/Afiliação Universidade Federal da Grande Dourados País Brasil Resumo da Biografia Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (2001), mestrado em Fitossanidade/Entomologia na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) (2003) e Doutorado em Entomologia na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2006). Concluiu o Pós-Doutorado em Entomologia/Controle Biológico de Insetos com Parasitoides na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2007). É Professor Adjunto IV na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Foi vice-coordenador do Programa de Pós-graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade (2011-2013). È professor e orientador nos Programa de Pós-graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade (PPECB) e em Agronomia (UFGD). Foi vice-presidente da Comissão Organizadora do XIII SICONBIOL, realizado em Bonito, MS em 2013. Tem experiência em Agronomia, com ênfase em entomologia agrícola e florestal. Atua principalmente nos seguintes temas: biologia de insetos, controle biológico de insetos agrícolas (Plutella xylostella, Spodoptera frugiperda, Anticarsia gemmatatalis e Diatraea saccharalis) e florestais (Thyrinteina arnobia) com parasitoides das famílias Trichogrammatidae (Trichogramma) e Eulophidae (Palmistichus elaeisis, Trichospilus diatraeae, Tetrastichus howardi). È líder do Grupo de pesquisa Controle Biológico de Insetos cadastrado na UFGD-CNPq. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 e Consultor Ad hoc da comissão de área de Biodiversidade da CAPES.
Fabrício Fagundes Pereira, Universidade Federal da Grande Dourados
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (2001), mestrado em Fitossanidade/Entomologia na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) (2003) e Doutorado em Entomologia na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2006). Concluiu o Pós-Doutorado em Entomologia/Controle Biológico de Insetos com Parasitoides na Universidade Federal de Viçosa (UFV) (2007). É Professor Adjunto IV na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Foi vice-coordenador do Programa de Pós-graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade (2011-2013). È professor e orientador nos Programa de Pós-graduação em Entomologia e Conservação da Biodiversidade (PPECB) e em Agronomia (UFGD). Foi vice-presidente da Comissão Organizadora do XIII SICONBIOL, realizado em Bonito, MS em 2013. Tem experiência em Agronomia, com ênfase em entomologia agrícola e florestal. Atua principalmente nos seguintes temas: biologia de insetos, controle biológico de insetos agrícolas (Plutella xylostella, Spodoptera frugiperda, Anticarsia gemmatatalis e Diatraea saccharalis) e florestais (Thyrinteina arnobia) com parasitoides das famílias Trichogrammatidae (Trichogramma) e Eulophidae (Palmistichus elaeisis, Trichospilus diatraeae, Tetrastichus howardi). È líder do Grupo de pesquisa Controle Biológico de Insetos cadastrado na UFGD-CNPq. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 e Consultor Ad hoc da comissão de área de Biodiversidade da CAPES.
Maurício Sekiguchi de Godoy, Universidade Federal Rural do Semi-Árido
Formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (2000), possui Mestrado em Agronomia (Entomologia) pela Universidade Federal de Lavras (2002), Doutorado em Agronomia (Ciências) pela Universidade de São Paulo (2006) e Pós-Doutoramento junto ao Departamento de Entomologia da Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo de pragas, controle químico e seletividade de químicos aos inimigos naturais.
Publicado
2017-05-10
Seção
Agronomia