Esterco bovino como substrato alternativo na produção de mudas de melão

  • Vilmar Eurípedes da Silva Júnior Uni-Anhanguera Centro Universitário de Goiás
  • Eduardo Pradi Vendruscolo Universidade Federal de Goiás
  • Leandra Regina Semensato Universidade Federal de Goiás
  • Luiz Fernandes Cardoso Campos Universidade Federal de Goiás
  • Alexsander Seleguini Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Resumo

Alternativas aos métodos convencionais de produção de mudas devem ser buscados a todo momento, visando o aumento da qualidade e o retorno ao produtor. Nesse contexto, os resíduos da atividade pecuária, podem constar como opções ao agricultor. O objetivo deste trabalho foi avaliar o uso do esterco bovino como substrato alternativo em combinação com substrato comercial para a produção de mudas de melão. Para a composição dos experimentos foram semeadas duas variedades de melão (Cantaloupe e Amarelo) em bandejas de polietileno de 128 células, com cinco diferentes substratos: 100% esterco, 100% substrato comercial e três misturas de esterco bovino (EB) e substrato comercial (SC) (75/25; 50/50; 25/75, respectivamente), compondo os cinco tratamentos, com quatro repetições em blocos casualisados. Para o melão Cantaloupe, o esterco bovino proporcionou incrementos significativos nas características biométricas das mudas, elevados teores das clorofilas e massa seca de parte aérea e raiz; o tratamento 75% EB + 25% SB apresentou resultados semelhantes para os teores de clorofilas, altura de planta, número de folhas, comprimento de raiz e índice de qualidade de Dickson. Para o melão Amarelo, o esterco bovino não apresentou os mesmos resultados, não ocorrendo diferença entre os tratamentos para os resultados de Clorofilas a e total, altura de planta, número de folhas e comprimento de raiz. O esterco bovino curtido possui potencial para substituir parcialmente ou integralmente o substrato comercial na produção de mudas de meloeiro.
Publicado
2018-10-25
Seção
Agronomia