MAM: 1964–1970

de portas abertas para as artes cênicas

Autores

  • Lidia Kosovski Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
  • Jussilene Santana Instituto Martim Gonçalves – IMG

Resumo

Este artigo trata da presença das artes cênicas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio), entre o golpe militar de 1964 e 1970. Passa pela ação do diretor teatral Martim Gonçalves, seguido de outros dois jovens diretores, Amir Haddad e Paulo Afonso Grisolli, com o grupo A Comunidade. Consideramos que, nessa ocasião, as primeiras sementes da vanguarda teatral dos anos 1960 foram plantadas em terreno carioca, usufruindo, necessariamente, do espaço museográfico moderno como centro de novos paradigmas para as artes cênicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-06-13

Como Citar

LIDIA KOSOVSKI; JUSSILENE SANTANA. MAM: 1964–1970: de portas abertas para as artes cênicas. MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 13, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/moringa/article/view/63340. Acesso em: 7 dez. 2022.