LUIGI E LUCE FABBRI: uma ética da liberdade

Autores

  • Margareth Rago

Resumo

Este artigo apresenta a trajetória ética e política dos militantes e anarquistas italianos Luigi e sua filha Luce Fabbri. Aborda as relações familiares estabelecidas entre ambos, mostrando como seu cotidiano era atravessado pelos valores anarquistas e pela presença marcante de Errico Malatesta, com quem Luigi estabeleceu intenso convívio. Esses fatos repercutiram fortemente na vida adulta de Luce, especialmente durante a ascensão do fascismo, quando pai e filha partem da Europa para o exílio, no Uruguai. A partir da dimensão existencial dos dois anarquistas, enfatizo a maneira pela qual, no anarquismo, a transformação política envolve bem mais que mudanças exteriores ou intervenções na vida pública: implica igualmente a elaboração da própria subjetividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-04

Como Citar

Rago, M. . (2012). LUIGI E LUCE FABBRI: uma ética da liberdade. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA &Amp; TRABALHO, 36. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/politicaetrabalho/article/view/12868

Edição

Seção

Nº 36 - DOSSIÊ ESTUDOS ANARQUISTAS CONTEMPORÂNEOS