OPINIÃO, BIOPOLÍTICA, GOVERNAMENTALIDADE E CONTROLE: as armadilhas da ambientalização e seus muitos e estranhos funcionamentos...

Autores

  • Ana Godoy

Resumo

Há pelo menos três passagens na obra de Deleuze e Guattari em que os autores referem-se explicitamente a uma nova configuração da universidade na relação com a sociedade de controle ou de comunicação. O propósito deste texto é menos explorar tais passagens e mais o modo pelo qual esta nova configuração encontra sua efetividade numa perspectiva ambiental da educação. Perspectiva que, ao propugnar a ambientalização no currículo, no ensino, na pesquisa e na gestão das instituições reafirmaa ecologia como ferramenta de estruturação da administração científica, destinada a desenvolver sistemas sociais efetivos para a administração do conhecimento dentro e fora da universidade. Nesta perspectiva, se o que nos cabe pensar hoje é os modos de resistência, é necessário problematizar toda uma discursividade da resistência que, ao operar subordinada aos índices de produtividade, funciona em redundância com um modelo majoritário como contraponto eficaz para a manutenção das coordenadas existentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-04

Como Citar

Godoy, A. . (2012). OPINIÃO, BIOPOLÍTICA, GOVERNAMENTALIDADE E CONTROLE: as armadilhas da ambientalização e seus muitos e estranhos funcionamentos. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA &Amp; TRABALHO, 36. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/politicaetrabalho/article/view/12873