REFLEXÕES ACERCA DA CONSTITUIÇÃO SEXUADA DO SUJEITO EM DANIÈLE KERGOAT

Autores

  • Maria Betânia de Melo Ávila SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia
  • Verônica Ferreira SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2020v1n53.51114

Resumo

Neste artigo, analisa-se a questão da “mobilização” e a sua relação com a questão da emancipação das mulheres trabalhadoras em Kergoat, isto é, a “passagem do eu para o nós” que, segundo a autora, constitui o “fio condutor que atravessa o conjunto das minhas pesquisas” (KERGOAT, 2018, p. 95). O artigo discute as elaborações de Kergoat baseadas em suas pesquisas empíricas realizadas nos anos 1970, apresenta suas premissas e categorias fundamentais, bem como suas contribuições teórico-políticas para a reflexão contemporânea sobre a constituição das mulheres como sujeito do trabalho e a questão da emancipação considerando as relações sociais de sexo, classe e raça. Como síntese, a incursão no pensamento de Kergoat nos permite pensar a constituição das mulheres como um sujeito no trabalho como uma dimensão que está diretamente relacionada à capacidade das mulheres de se organizarem como coletivo portador de um projeto feminista de igualdade e emancipação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Betânia de Melo Ávila, SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia

Pesquisadora do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia, Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE.

Publicado

2021-03-23

Como Citar

de Melo Ávila, M. B., & Ferreira, V. (2021). REFLEXÕES ACERCA DA CONSTITUIÇÃO SEXUADA DO SUJEITO EM DANIÈLE KERGOAT. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA &Amp; TRABALHO, 1(53), 112–128. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2020v1n53.51114

Edição

Seção

Nº 53 AVENTURA COLETIVA: A INFLUÊNCIA DE DANIÈLE KERGOAT E HELENA HIRATA NOS EST